Na sexta-feira passada, como faz todos os anos, Jeff Bezos enviou uma carta aos acionistas da Amazon. Como era esperado, o foco foi o COVID-19 e o papel que a Amazon desempenha como um dos principais pilares no sector online. Bezos salientou a importância de manter os trabalhadores nos «bastidores» para garantir que a economia continue a funcionar. Nesta imagem interactiva, resumimos a carta em 11 pontos:

Esta carta chega num momento de tensão para a Amazon em ambos os lados do Atlântico. Muitos governos colocaram a segurança da empresa no centro das atenções, e em França, a justiça chegou a por termo a quaisquer operações não essenciais. Em resposta, a Amazon fechou as suas seis unidades no país até, pelo menos, dia 22 de Abril.

Os sindicatos norte-americanos, entretanto, pediram à Amazon que encerrasse os edifícios, e alguns dos seus trabalhadores têm feito manifestações para o encerramento.

Entretanto, em Espanha parece que tudo vai continuar normalmente e que a Amazon vai funcionar sem alterações. No entanto, existe uma certa pressão por parte da Confederação Espanhola do Comércio (CEC), que convida o executivo de Sanchez a limitar o catálogo de produtos para venda online, a bens essenciais. Fa-lo-a, afirma, para «proteger as pequenas empresas que, num momento tão crítico, foram colocadas em clara desvantagem competitiva em relação às grandes plataformas internacionais« que continuam a operar online sem quaisquer restrições.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram