Um novo estudo do Research Institute da Capgemini analisa o impacto da sustentabilidade nos padrões de compra dos consumidores e a forma como as empresas de produtos de consumo e de retalho (PCR) compreendem as expectativas dos consumidores.

O estudo, Consumer Products and Retail: How sustainability is fundamentally changing consumer preferences, conclui que a sustentabilidade subiu na lista das prioridades dos clientes: 79% dos consumidores estão a mudar as suas preferências de compra com base nos critérios de responsabilidade social, de inclusão e de impacto ambiental das marcas.


Além disso, a pandemia da COVID-19 provocou um aumento no nível de consciencialização dos consumidores e aumentou e no empenho de fazerem compras mais sustentáveis: 67% dos consumidores afirmaram estar mais conscientes da escassez de recursos naturais devido à crise da Covid-19, e 65% disseram que vão estar mais atentos à repercussão que o seu nível de consumo global poderá ter no “novo normal”

As preocupações com a sustentabilidade passaram a influenciar de forma determinante o comportamento dos consumidores e alcançaram uma maior abrangência: 53% dos consumidores em geral, e 57% na faixa etária dos 18 aos 24 anos, mudaram para marcas menos conhecidas por serem mais sustentáveis.

Por outro lado, verifica-se que também as empresas de produtos de consumo e de retalho (PCR) já perceberam a relevância que a sustentabilidade pode ter nas suas relações com os clientes: 77% das empresas inquiridas referiram que a sustentabilidade promove o aumento do nível de fidelização dos clientes, enquanto 63% afirmaram que promove o crescimento das receitas geradas pelas marcas.

Pia Heidenmark Cook, Chief Sustainability Officer do Ingka Group afirma: “Um dos desafios que muitas organizações enfrentam neste contexto é a gestão da mudança. A perceção que muitas empresas têm é que a sustentabilidade é mais cara. No entanto, não percebem que iniciativas como a redução dos resíduos ou o aumento da eficiência energética, têm o poder de minorar os seus custos operacionais. Por isso, diria que o principal desafio que em matéria de sustentabilidade é a gestão da mudança – é necessário apresentar argumentos que evidenciem os benefícios, influenciar e inspirar as pessoas, fazendo-as entender porque é que estas iniciativas podem fazer a diferença.”

O estudo da Capgemini identifica também quais são as quatro melhores práticas que as empresas podem adotar para acelerar a sustentabilidade e impulsionar os seus programas a longo prazo:
  • Educar os consumidores e capacitar os colaboradores para adotarem práticas sustentáveis: As empresas devem desempenhar um papel fundamental na evidenciação da pegada de sustentabilidade dos seus produtos;
  • Colocar a tecnologia no centro das iniciativas de sustentabilidade: É importante que as empresas alinhem a utilização da tecnologia com os seus objetivos mais amplos de sustentabilidade;
  • Implementar uma estrutura organizacional forte para promover a sustentabilidade:Uma estrutura organizacional forte ajuda as empresas a implementarem a sua estratégia de sustentabilidade em todas áreas e unidades de negócio;
  • Colaborar com o ecossistema geral para ter maior impacto: As colaborações na área da sustentabilidade dentro das redes internas das empresas contribuem para criar compromissos comuns e para mitigar os impactos ambientais e sociais intrínsecos às cadeias de abastecimento deste setor;

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram