Os orçamento de marketing foram cortados, ao nível mais elevado desde os últimos 20 anos de história do relatório do IPA Bellwether.

O saldo líquido das empresas desceu para 50,7% no segundo trimestre, sendo este o pior resultado desde a última recessão.


O diretor geral do IPA, Paul Bainsfair, afirma: «Como suspeitávamos, estes números do segundo trimestre de Bellwether revelam o impacto muito grave do Covid-19 nas empresas. Compreensivelmente, as empresas mais afetadas tiveram poucas opções a não ser preservar o dinheiro e as operações para sobreviverem até que as condições melhorarem.»

Com a possibilidade de uma nova vaga de infeções, muitos comerciantes preparam-se para períodos extremamente difíceis, principalmente caso não se encontre uma vacina.

Apesar do cenário negro, ainda existe algum positivismo, suportado pela esperança de que os esquemas dos governos impulsionem a economia e ajudem a facilitar novas áreas de desenvolvimento empresarial.

Setores mais afetados

A publicidade utilizada pelos meios de comunicação social , normalmente para a construção de marcas, reportou um corte de 51,1%, seguido do áudio em 50%, ‘marcas publicadas’ de 49,2%, vídeo de 39,3% e outras online de 25,1%.

O marketing de eventos foi o mais atingido, com um corte de 76,6%. Mais de 80% dos comerciantes relatam cortes nas despesas e apenas 3,6% aumentam-nas.

O marketing direto e as relações públicas foram os menos atingidos, embora o corte tenha sido de 41,6%.

Ainda que tudo parece negativo, a Bellwether prevê uma recuperação robusta em 2021, com uma previsão de crescimento dos gastos com publicidade de 6%. E em 2022 e 2023 espera mais uma vez um crescimento acima da média.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram