46% dos portugueses estão dispostos a tornar as suas compras diárias mais sustentáveis

Quando se trata de dar prioridade à sustentabilidade ambiental, segundo o estudo Observador Cetelem Consumo Sustentável 2022, quase metade dos portugueses inquiridos procuram fazê-lo nas compras relacionadas com as despesas diárias e mercearias (46%).

Analisando as respostas por faixa etária, conclui-se que são os inquiridos dos 18 aos 44 anos os que estão mais dispostos a tornar as suas compras diárias mais sustentáveis (média de 51%), assim como os residentes nas Áreas Metropolitanas do Porto (54%) e de Lisboa (50%).

31% dos entrevistados dão mais prioridade à sustentabilidade na compra de grandes e pequenos eletrodomésticos, sendo visível uma discrepância na primazia dada pelos inquiridos do Centro, em que apenas 15% dizem dar prioridade à sustentabilidade nesta categoria, e os inquiridos das regiões Norte e Sul (36% respetivamente).

Relativamente à priorização da sustentabilidade no que toca à mobilidade, por exemplo, através da escolha de veículos elétricos ou híbridos, 22% dos portugueses inquiridos dizem fazê-lo, principalmente, os mais novos (28%), com os inquiridos dos 65 aos 74 anos a admitir que a sustentabilidade não é, de todo, uma prioridade para eles nesta categoria (68%).

Já 21% dos portugueses dão prioridade à sustentabilidade nos investimentos a longo-prazo, como remodelações, colocação de painéis solares, entre outros, observando-se uma diferença significativa entre as opiniões dos inquiridos que residem na zona do Porto (39%) e aqueles que residem na zona de Lisboa (7%).

Principais barreiras para o consumo sustentável

Apesar de serem muitas as pessoas que tencionam adotar um consumo mais sustentável, existem ainda algumas barreiras que não possibilitam essa transição imediata.

O estudo Observador Cetelem Consumo Sustentável revela isso mesmo ao concluir que a grande barreira à compra de produtos sustentáveis é o preço. Isto é unânime, em todas as categorias – na mobilidade (67%), nos grandes e pequenos eletrodomésticos (66%), nos investimentos a longo prazo (65%) e nas despesas diárias e de mercearia (62%).

Contudo, existem algumas exceções. Por exemplo, em produtos sustentáveis mais dispendiosos, o possível retorno futuro que estes possam ter é o principal motivador de compra deste tipo de produtos (42%).

29% dos inquiridos indicam que o seu principal motivador de compra de produtos ambientalmente mais sustentáveis é o facto de o produto ser um investimento a longo prazo e 21% mencionam o facto de poderem ter apoio financeiro para a sua aquisição.

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Língua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
GDPR logdate ok:
Please don't insert text in the box below!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Scroll to Top