A Amazon não enviará mais produtos não essenciais aos consumidores em Itália e França através da sua própria rede logística. A empresa deu a notícia neste sábado devido ao aumento das encomendas e à necessidade de respeitar as medidas de segurança contra o coronavírus.

O gigante americano permite, portanto, que os consumidores em Itália e França encomendem produtos não essenciais a fornecedores que não utilizam a logística da Amazon para atender e enviar encomendas, embora avise que as entregas podem demorar mais do que o normal.

«Vamos parar de receber encomendas de alguns produtos não essenciais no Amazon.it e no Amazon.fr«, disse o Amazon.com num comunicado. «Isto permite aos parceiros do centro de distribuição concentrarem-se na recepção e expedição dos produtos que os clientes mais necessitam neste momento«, acrescenta.

Com esta decisão, a Amazon dá um passo adiante e representa uma mudança na sua resposta à pandemia. A empresa Bezos elaborou uma lista do que considera serem produtos essenciais que inclui produtos para bebés; artigos de saúde e domésticos; beleza e cuidados pessoais; alimentos; e suprimentos industriais, científicos e para animais de estimação.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram