O grupo YoungNetwork fez o primeiro estudo sobre o impacto da Covid-19 nas Autarquias Portuguesas, que teve por objetivo perceber como se estavam adaptar à nova realidade, como estão comunicar e como prevêem o futuro pós-pandemia.

Os resultados mostram que a maioria destes órgãos de poder aderiu massivamente aos canais digitais (92,2%) e passou a comunicar mais (60%), realizando um trabalho mais proativo (77%) do que reativo.


De acordo com os dados, os meios mais utilizados para interagir com munícipes, foram o e-mail, 84%, telefone, 76% e Facebook com 64%.  

O teletrabalho teve um impacto positivo, visto que 62,2% dos inquiridos considera que os resultados de trabalho não foram afetados, sendo que, 15,6% considera ainda que foram melhores. 

“Nunca os Organismos Públicos comunicaram tanto, de forma tão urgente, e nunca como antes estiveram tão na ordem do dia como hoje. Este estudo mostra que o setor público tem feito esforços para acompanhar a transformação digital, adaptando estratégias e criando soluções numa era crítica”, refere João Santos, COO do grupo de comunicação e especialista em comunicação política e public affairs.

Nos esforços feitos, está a transformação de debates políticos presenciais, nomeadamente reuniões de Câmaras ou Assembleias Municipais, em debates digitais, com aderência de 80% das Autarquias.  

“Otimizar a comunicação das Autarquias é contribuir para salvar mais vidas, hoje com a COVID-19, amanhã com os incêndios ou outros flagelos que nos possam afetar. Por ser completo e tocar em várias áreas, este estudo é sem dúvida uma ferramenta útil para a tomada de novas decisões”, acrescenta o responsável.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram