Esta semana começa uma nova edição do MBFWM e as marcas de moda virão ao Facebook e Instagram para se conectar com a sua comunidade, participar em conversas de moda e ver em tempo real as reações às novas coleções.

A indústria da moda mudou, assim como o consumo de conteúdos relacionados com o sector. Enquanto no passado éramos inspirados por desfiles e passarelas, agora, graças ao imediatismo do mundo digital, os consumidores encontram a inspiração da moda em plataformas sociais e dispositivos móveis.

A rápida adoção da tecnologia móvel resultou em numa rutura no mundo da moda, levando-nos à era do mobile first, já que os amantes da moda usam as plataformas sociais dos seus dispositivos móveis para inspiração e decisões de compra.

A inspiração da moda está no Facebook e no Instagram

De acordo com um estudo do Facebook, mais da metade das pessoas que usam o Instagram, e 4 em cada 10 utilizadores do Facebook, encontram inspiração sobre moda através dessas plataformas.

O Facebook e o Instagram converteram-se em plataformas fundamentais para a descoberta de tendências, como evidenciado pelo facto de 3 em cada 5 utilizadores quererem comprar um produto relacionado à moda depois de descobri-lo nessas plataformas.

Os jovens estão procuram mais inspiração sobre moda no Facebook e no Instagram, já que para a maioria dos utilizadores entre 18 e 35 anos o Instagram é a primeira plataforma onde encontrá-la e o Facebook a segunda.

Se compararmos esta geração com a anterior – pessoas entre 35 e 64 anos – 1.57x mais jovens dizem que descobrem novidades de moda no Facebook e 1.81x mais no Instagram.

Marcas de luxo também fazem parte da conversa

De acordo com um relatório publicado pelo Instagram, que analisa as tendências dos utilizadores que seguem e consomem marcas de luxo na plataforma, 58% dessas pessoas dizem que fazem isso para se manterem a par das tendências e estilos e 49% confirmam que seguem as marcas no Instagram porque assim sentem uma conexão mais próxima com elas.

Além disso, 51% indicam que acompanham os números do mundo da moda para ver as marcas que usam e conhecer as últimas tendências da moda. E 56% conhecem as novas coleções através do Instagram.

Conversas sobre moda: sobre o que falamos e quando o fazemos

Esta mudança no paradigma do consumo também levou a uma desestabilização das conversas de moda. Se no passado os picos de conversação estavam em torno dos lançamentos da primavera e do verão – coleções de outono e inverno, agora eles são mantidos durante todo o ano. As conversas sobre o que vestimos e como o usamos nunca foram tão imediatas, imersivas e internacionais como agora. Todos os meses há 13 milhões de menções do hashtag #Fashion no Instagram, e no Facebook há centenas de milhares de grupos relacionados à moda ao redor do mundo.

Embora a fast-fashion reúna uma grande percentagem de conversas de moda, há também outras tendências que são importantes para as pessoas no Facebook e no Instagram, por exemplo, as menções de moda sustentável cresceram 24% entre junho de 2016 e junho de 2017. De igual modo, nem toda a moda é de igual interesse para todos os países. Durante este período de tempo, espanhóis e alemães falavam mais sobre malas, enquanto italianos e franceses falavam sobre sapatos, e britânicos falavam sobre roupas de rua.

«As marcas de moda, grandes ou pequenas, podem conectar-se com os consumidores nos seus telemóveis e inspirá-los. O processo de compra evoluiu e o mobile está no centro. O telemóvel mudou radicalmente os hábitos do consumidor e a preferência por estar sempre conectado aumentou as expectativas do consumidor. Com o Facebook e o Instagram as marcas têm a oportunidade de crescer e alcançar os amantes da moda em qualquer lugar do mundo«, Irene Cano, Diretora Geral do Facebook e Instagram Espanha.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram