O Conselho de Ministros aprovou o investimento de 400M de euros no dia 16 de Julho, para a implementação da escola de digital, que visa equipar alunos e docentes com computadores, ligação à internet e licenças de software.

O investimento que já estava previsto no Programa de estabilização, não será só apenas para «dotar as escolas, os docentes e os alunos para o desenvolvimento de competências digitais no trabalho escolar», como explica o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, mas também para impulsionar «um melhor mundo digital, para a economia, e também para o emprego».


Este procedimento será implementado em 2 fases diferentes e o valor distribuído entre 2020 e 2021. «Numa primeira fase prevê-se ao nível infraestrutural adquirir computadores, conetividade, licenças e software para as escolas públicas, de modo a disponibilizarem estes recursos a alunos e docentes, dando prioridade aos alunos abrangidos pela ação escolar, até alcançar a paulatina a utilização universal».

A pandemia, provocou alterações no sistema de ensino, que teve de se adaptar ao ensino à distância para garantir o cumprimento do programa de ensino. No entanto perante a incerteza que ainda existe sobre o vírus, o Governo pretende assegurar que as escolas possam funcionar num modelo misto de ensino presencial e à distância, o que justifica a necessidade de implementação destas medidas.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram