Mais de 53% dos portugueses escolhem instituições de crédito e não bancos para pedirem dinheiro

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en pinterest
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Younited Credit, marketplace de crédito ao consumo líder na Europa Continental, acaba de apresentar as conclusões do seu mais recente estudo Credit Trends Report, dedicado ao mercado do crédito ao consumo nos países onde opera (Portugal, Espanha, França, Itália e Alemanha). Chegado o momento de pedir um crédito, 53% dos portugueses escolhem recorrer a instituições especializadas e não aos bancos, para um pedido médio em torno de €5.000.

Com o objetivo de compreender o mercado de crédito ao consumo e as preferências dos clientes que pedem este tipo de financiamento, a Younited Credit desenvolveu o Credit Trends Report, através do qual foi possível compreender melhor as preferências de consumo de produtos financeiros por parte dos portugueses. Geralmente do sexo masculino, abaixo dos 50 anos e com uma situação profissional estável, a maioria dos portugueses pedem crédito ao consumo no valor médio de até €5.000 e para três principais razões: compra de um automóvel novo, liquidez e compra de equipamentos para casa. Também segundo o relatório, todos os pedidos são feitos com urgência (45,3%).

“É muito importante compreendermos bem o mercado do crédito na Europa, não apenas para podermos pensar em soluções específicas que possam estar a ser procuradas pelos consumidores, mas para avaliarmos a atuação de todos os intervenientes, sejam eles fintechs ou incumbentes. O Credit Trends Report foi desenvolvido a nível europeu, havendo depois um foco em cada mercado onde operamos, para podermos ter simultaneamente uma visão alargada, e uma mais de nicho, compreendendo as especificidades locais de cada país. A construção deste tipo de perfis é muito útil para estarmos conscientes da nossa atuação, não apenas de um ponto de vista de proteção do consumidor contra o sobreendividamento, mas também das áreas onde temos maior e menor procura, construindo os nossos produtos para ir ao encontro do que é procurado.”

Annie Criscenti, Deputy CEO da Younited Credit em Portugal

Embora não haja uma opinião negativa clara em relação a bancos, a maioria dos portugueses prefere recorrer a instituições de crédito, assim como é ele a tomar a primeira ação, a procurar as empresas e a fazer o primeiro pedido deliberadamente (64%). No que diz respeito ao seu historial, trata-se de um consumidor que tem ou já teve mais créditos (39%) e ainda está a pagar, em média, dois deles, sendo que o rácio de dívida é baixo. Neste perfil foi ainda possível saber que a grande parte dos inquiridos com créditos ativos têm uma situação financeira limitada (73%), embora muitos estejam estáveis e sem excessos.

No que diz respeito à educação e literacia financeira, o relatório indica que é razoável, sendo que a maior parte dos inquiridos (+50%) trabalha apenas com um banco, como o qual tem uma relação próxima, mas através dos canais digitais, nos quais demonstra confiança o suficiente para não fazer visitas regulares a agências e/ou balcões.

Custo e Transparência são as características mais importantes

Quando avaliadas as características das empresas às quais os portugueses recorrem para pedir um crédito, a maioria refere o custo e a transparência das condições como as mais importantes, seguido de um processo pouco burocrático (com poucos documentos necessários), da flexibilidade na gestão do crédito, rapidez de aprovação e de disponibilidade dos fundos, assim como a duração do pagamento – todas avaliadas como sendo características importantes. Já no outro outro lado da balança estão características como existência de balcões físicos ou profissionais disponíveis para tirar dúvidas, ambas avaliadas como pouco ou nada importantes no momento de pedir um crédito.

Chegado o momento de avaliar e comparar diferentes créditos, a maioria dos portugueses olha para a mensalidade, o custo total e as taxas, sendo que a escolha da instituição especializada recai naquela com um custo do crédito mais baixo, condições mais transparentes e processo mais simples. A opinião de terceiros também é relevante, embora o consumidor nacional considere que falar de dinheiro é um assunto privado.

“O retrado com que ficamos é de um consumidor discreto e conservador, embora responsável e bem informado” explica a responsável, concluindo que “Portugal é um mercado onde a Younited está a crescer exponencialmente, e onde pretendemos atribuir cerca de 10 milhões de euros por mês em créditos ao consumo, chegando ao marco de 80 milhões de euros atribuídos em 2022.”

Recorde-se ainda que a fintech francesa anunciou recentemente um novo financiamento de 170 milhões de dólares, que serão utilizados para três objetivos estratégicos: consolidação da presença na Europa, lançamento de novos produtos financeiros e desenvolvimento de tecnologias inovadoras.

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Língua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
GDPR logdate ok:
Please don't insert text in the box below!
Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en pinterest
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

Deixe um comentário

Tu dirección de Email no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Ir arriba