Teresa Sánchez-Herrera, Marketing Manager de Retail Rocket, falou durante a última edição do Digital Marketing Day sobre como transformar utilizadores em clientes em apenas três minutos. Este é o tempo médio que um utilizador gasta a navegar numa loja online. Tempo que tens que convencê-los de que o teu produto é o melhor e eles devem comprá-lo na tua loja.  

O profissional do Retail Rocket comentou que, através da personalização, «podes adaptar os conteúdos às necessidades de cada utilizador e gerar neles uma experiência de navegação dinâmica, próxima e pessoal. Assim, ao oferecer aos utilizadores o que eles esperam, aumentam as chances de comprarem«.

Sánchez-Herrera ilustrou esta técnica com exemplos reais de lojas online que utilizam a personalização a partir de diferentes abordagens. E é que apenas 5% da personalização do uso do eCommerce usam a personalização, em grande parte, devido à relativa novidade da tecnologia.

A pergunta que devemos nos fazer, e que gerou reflexão entre o público, é que, uma vez que a maioria dos utilizadores retorna ao nosso site e podemos manter o seu histórico de navegação, por que não usamos esses dados?

Finalmente, Sánchez-Herrera transmitiu a importância dos dados, não só na personalização, mas também no lançamento de campanhas de e-mail marketing, especificamente o envio de e-mails transacionais para orientar os utilizadores a finalizar a compra e fidelizar produzindo vendas recorrentes.

Algumas das dicas foram: Não enviar mais de um e-mail em menos de 3 dias, usar testes A/B, enviar e-mails em tempo real, sincronizar o e-mail com cookies, usar recomendações personalizadas, focar na aquisição de e-mails, e assim por diante.

O conteúdo já não é o Rei da Internet. O verdadeiro Rei é o utilizador

Com esta frase, José Facchin, Country Manager da SEMrush Espanha, explicava a necessidade de conhecer e compreender a opinião do nosso cliente.

Assim que tivermos definido o nosso Buyer Persona, podemos criar conteúdos adaptados ao nosso público. Oferecer ao público conteúdos relevantes e atrativos que resolvam os seus problemas e necessidades. Isto é, em suma, para se concentrar em Marketing de Conteúdo.

Nesse sentido, Facchin apontou que «a diferenciação é fundamental para a estratégia de conteúdo, porque se passas e não deixas uma marca, para quê passar?”

Nesta busca por conteúdo original e de qualidade, Christian Larraínzar, da Lowpost, falou sobre Happy Content e a relação que tem com a atitude de querer fazer coisas novas. De acordo com Larraínzar, trata-se de «sair do caminho, questionar tudo e alcançar o público-alvo de uma maneira diferente».

O tema central que marcou o dia foi a conversão e quais são os truques para consolidar as vendas.

Álvaro Fontela, cofundador da Raiola Networks, falou sobre as técnicas para reduzir o tempo de carregamento e forneceu dicas e ferramentas úteis para melhorar a usabilidade e com isso, a conversão.

Miguel Ángel Trabado, Director Regional de PPD da Henkel, analisou com o público a evolução das empresas do Marketing Mix. Do modelo tradicional dos 4 ‘P’s’ (Product, Promotion, Price e Placel) ao modelo dos 4 ‘C’s’ (Consumer, Communication, Cost, Convenience). Além disso, ele descreveu o modelo atual, o dos 4 ‘E’s’:

  • Experience (Contar histórias, participar na criação de uma marca…)
  • Evangelism (embaixadores da marca, quando recomendam um valor é muito alto)
  • Exchange (dados em troca de serviços, ofertas…. Por exemplo, o Big Data e ser capaz de prever a próxima compra).
  • Every Place.

No final de seu discurso, Trabado explicou como a tecnologia se está a desenvolver rapidamente e como temos que nos adaptar a ela. Será que acabamos com a cabeça na nuvem?

SEO, a nossa aspiração de estar na 1ª posição

Vários foram os palestrantes que ofereceram os seus conhecimentos em técnicas de SEO e permitiram ao público descobrir, entre outras coisas, truques para melhorar a visibilidade, como melhorar o seu blog, a densidade de palavras-chave, como usar adequadamente metatags e nomes de url do site.

A dúvida que sempre nos invade é se devemos fazer a estratégia SEO ou SEM. Para analisar esta questão dois palestrantes, Eunice Delgado e Juan David Mateos da SEMminer, geraram um debate sobre qual a técnica a que se deve inclinar. A conclusão é que, uma vez que ambos se tratam de resultados na mesma página, é preferível abordá-lo, não como uma guerra, mas como uma forma de complementar e trabalhar com os dois.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram