Num ano atípico, marcado pela pandemia COVID-19, os consumidores portugueses mantêm o interesse em aproveitar a campanha Black Friday, mas com uma grande mudança no canal de compra: a tendência será menos clientes nas lojas e uma (ainda) maior afluência no canal online.

Esta é uma das principais conclusões do estudo realizado, no final de setembro, em parceria com a Netsonda, sobre a campanha Black Friday. De acordo com esse estudo, 36% dos consumidores portugueses tenciona fazer as suas compras Black Friday usando apenas o canal online, um crescimento de 22 pontos percentuais face a 2019 (14%). Em sentido contrário, este ano, a intenção de compra apenas em loja situa-se nos 12%, uma descida de 11 pontos percentuais face ao ano passado (23%).

O contexto da pandemia acelerou muitíssimo o consumo online, quebrando barreiras nos hábitos de compra de milhares de portugueses. Acreditamos que essa tendência veio para ficar e prova disso é o facto de, durante a próxima Black Friday, quase 40% dos portugueses admitir comprar exclusivamente online. Sendo a Worten a marca top of mind dos portugueses relativamente a esta campanha, estamos a contar com um aumento significativo das vendas em Worten.pt, ao longo do mês de novembro. Aliás, este ano, a grande alteração passa por estarmos durante todo o mês em campanha, para que se evitem picos de afluência e as visitas e compras possam ser feitas com tempo e com toda a segurança nas nossas quase 200 lojas e no site”, afirma Inês Drummond Borges, Diretora de Marketing da Worten

De acordo com este estudo da Netsonda, a Worten continua a ser a marca que os portugueses mais associam à Black Friday: 77% identifica a marca como a insígnia, por excelência, desta campanha promocional herdada dos Estados Unidos da América, e perto de metade dos inquiridos (48% face a 44% em 2019) recorda a Worten em top of mind. Apesar da incerteza generalizada inerente à pandemia, 84% dos inquiridos mantém a expectativa de poder aproveitar este período promocional, planeando gastar, este ano, em média, 321,61€, um aumento de 17€ face a 2019. Os homens continuam a ser os que tencionam gastar mais em compras na Black Friday, com 87% dos inquiridos a admitir comprar para eles próprios. 

Este ano, os produtos mais procurados na Black Friday continuam a ser os tecnológicos (55%), com maior impacto no género masculino (62%), logo seguidos pelos produtos de moda e acessórios (49%), uma opção mais procurada pelo género feminino (61%). O 3.º lugar do ranking, ao nível da tipologia de produtos que os portugueses ponderam comprar, este ano, na Black Friday, são os eletrodomésticos (36%). 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram