O paradigma do mundo dos negócios tem vindo a mudar e as startup estão a ganhar mais terreno no nosso país. O comércio eletrónico já não é o futuro. É o presente. E o Manuel Antunes viu nesta pandemia uma janela de oportunidade para se envolver em mais um projecto, a Benda.

Na Ecommerce News Portugal estivemos à conversa com Manuel Antunes, um jovem empreendedor de 24 anos que criou a sua 1ª empresa em Julho de 2019 e a sua 3ª em Maio de 2020, com o nome ‘Benda’.


Ecommerce News Portugal: Como e de onde surgiu a ‘Benda’?

Manuel Antunes: A ideia surgiu de um sócio nosso, que já tinha visto este conceito de supermercado online a ser posto em prática noutros países. Entre fevereiro e março, com o aparecimento da pandemia e das restrições, as pessoas ficaram com receio de ir aos supermercados e ficar nas filas de espera, por isso esse foi o ‘timing’ ideal para pôr em prática a ideia. Ao início pensamos que seria relativamente rápido colocarmos em prática, mas criar a plataforma, inserir os produtos e as respetivas características, demorou o seu tempo. Como temos milhares de produtos, só conseguimos abrir em julho.

Apesar disso, tivemos um início interessante e nesta fase inicial procuramos, acima de tudo, melhorar a plataforma, para posteriormente lançarmos a App para Android e IOS. Ainda temos um longo percurso pela frente, mas estamos confiantes que vai correr bem e que estamos, realmente, no caminho certo.  

Ecommerce News Portugal: A App será um espelho do website, ou será diferenciada?

Manuel Antunes: As App’s nos dias de hoje, criam maior proximidade com as pessoas do que um website, por isso é que queremos avançar com a App da ‘Benda’, no entanto, neste momento, o que há disponível no website, haverá também na app e vice-versa. A app ainda está em fase de produção. Primeiro queremos organizar o website e só depois é lançamos a app. Queremos melhorar e corrigir o que for possível, para não surgirem problemas. Prevemos ter a App disponível até ao final do ano, na AppStore. 

Ecommerce News Portugal: Qual é o vosso modelo de negócio? Têm um armazém ou um supermercado também físico?

Manuel Antunes: As nossas instalações são em Braga, e em breve estarão disponíveis como ponto de recolha, para dar a opção de escolha aos clientes de receberem a encomenda numa morada ou fazerem eles a própria recolha. Esta opção surge também, associada ao acréscimo de valor que impomos, para evitar acumulação de entregas no período das 18h às 20h. Neste momento só temos previsto um ponto de recolha, em Braga, mas pretendemos ir crescendo aos poucos. Numa primeira fase queremos crescer Braga, 20 quilómetros e numa segunda e terceira fase pretendemos crescer por toda a parte do Douro e Alto Minho.

Ecommerce News Portugal: Como tem sido o volume de negócio nesta primeira fase, no vosso website?

Manuel Antunes: Nós iniciámos a venda ao público na segunda semana de agosto, como tal não estamos com um volume enorme de encomendas mas estamos no patamar normal para este início. Também sabemos que para aumentarmos o volume, precisamos de aumentar a gama de produtos, ou seja, precisamos de ter um leque mais variado e estamos a trabalhar para isso. Nas primeiras duas horas de abertura, obtivemos 1000 visitas ao nosso site, que foi muito bom. Ao longo do tempo diminui um bocadinho, mas é normal, já estávamos a contar com isso. 

Nas redes sociais temos uma boa interação orgânica, porque optamos por não fazer anúncios pagos, nem nenhum tipo de divulgação mais ampla. Neste momento, estamos mesmo focados em trabalhar e melhorar o nosso website e logistica, pelos feedbacks que temos recebido dos clientes, para quando atacarmos o mercado de forma direta, já termos mais noção dos problemas que se iremos enfrentar e consequentemente estarmos mais preparados para os ultrapassar. Este feedback, temos conseguido ligando ao cliente, após a encomenda, para saber se tudo correu bem, que tipo de avaliação atribuem e que pontos sugerem melhorarmos, portanto só após esta melhoria é que nos vamos focar noutros pontos, como promoção e faturação. 

Ecommerce News Portugal: O apoio ao cliente é feito via telefone, redes sociais e entre outros meios? 

Manuel Antunes: Fazemos também pelas redes sociais, mas a proximidade com o cliente nos pós encomenda é, de facto, por via telefónica. Se por ventura, não tivermos o contato do cliente, enviamos email. Por vezes pode acontecer não termos os contatos do cliente, visto que é possível fazer a encomenda sem se registar no website, e nesses casos não conseguimos fazer o acompanhamento. O único dado que é realmente obrigatório é a indicação da morada para fazer a entrega.

Ecommerce News Portugal: vivenciaram alguns carrinhos abandonados?

Manuel Antunes: Sim, já tivemos clientes abandonar e a não concluírem a compra, mas também já tivemos clientes que ao receberam o lembrete que tinham deixado o carrinho em espera, acabaram por finalizar a encomenda. São ainda casos muito pontuais e muito normais, por isso não interpretamos como uma grande preocupação, ou seja, não tem um volume assim tão negativo que tenhamos direcionar a nossa atenção.  

Ecommerce News Portugal: Em termos de concorrência, o que têm de diferente para competir com outras empresas?

Manuel Antunes: Numa primeira fase pretendemos ser concorrentes dos supermercados locais, da região, e numa segunda fase assumir uma posição de concorrência para as empresas que não estão no topo da corrida do comércio online.

O que oferecemos de diferenciador é o termo tradição: trazermos o conceito de tradição que existia antigamente, daí o nome ser ‘Benda’, e utilizarmos também o slogan ‘vai-me à Benda e traz-me o troco’, algo que existia muito aqui no norte e criava proximidade com o cliente. Um conceito de supermercado online do povo, sem as enormes e exaustivas promoções. Queremos sim ter preços baixos continuamente, trabalhamos com alguns produtores locais, e é algo que queremos aumentar, mas ainda precisamos de aumentar o volume e capacidade de armazenamento. Queremos muito trabalhar na proximidade e tradição, e num futuro termos grande parte dos nossos produtos provenientes de produtores locais.

Ecommerce News Portugal: Não é um risco não recorrerem a promoções?

Manuel Antunes: O povo português gosta das promoções de facto, mas achamos que gosta mais de gastar menos na conta final. Ou seja, se conseguirmos manter os preços baixos, não iremos tanto precisar das promoções, até porque a divulgação ‘boca a boca’ terá bastante impacto. Claro que as promoções são uma boa forma de angariar clientes, mas estamos confiantes que a tradição vai superar. É o que esperamos que aconteça passo a passo. Queremos ir ganhando terreno aqui no norte, visto que por alguns somos considerados o ‘motor’ do país por sermos uma classe trabalhadora, ou seja, um povo mais tradicional, e por isso temos outra mentalidade, fazendo com que o ‘boca a boca’ e o produto nacional seja o nosso ponto forte e isso é que nos leva a focar aqui no norte, primeiro, para depois sim, depois de termos uma boa estrutura aqui em cima, passarmos para outras localidades.

Ecommerce News Portugal: Que métodos de pagamento têm o disponíveis?

Manuel Antunes: Temos disponível MB way, referência de multibanco e cartões. A referência multibanco é o método mais utilizado, até porque já é hábito para fazermos pagamentos ao estado. Disponibilizamos o MB way para as gerações mais novas, e os cartões porque quase todos os clientes que têm uma conta, têm um cartão. 

Sabemos que algumas empresas,  aceitam os pagamentos serem feitos no ato de entrega, no nosso caso não aceitamos porque já temos alguma experiência e não quisemos correr o risco de burlas, no caso dos clientes indicarem uma morada que afinal não é a correta ou outros problemas. 

Ecommerce News Portugal: Qual é a dimensão da vossa empresa?

Manuel Antunes: Neste momento somos 6 pessoas a tratar da parte da gestão da empresa, e a nível de entrega das encomendas, trabalhamos com estafetas, independentes, com contrato direto connosco. Entretanto, já estamos em contacto com uma empresa para no futuro fazer a gestão de todo o nosso processo de logística, caso o volume aumente. Se não aumentar, iremos continuar a trabalhar com estafetas. 

Ecommerce News Portugal: Quais são as vossas perspectivas para o fim deste ano?

Manuel Antunes: Prevemos que haja um aumento significativo de encomendas, ou seja em meados de Outubro, com o início do inverno, em que os clientes preferem permanecer no quente e no conforto de casa, achamos que será um 4º trimestre bastante animador para nós. Assim como o primeiro de 2021. Prevemos também chegar a 2021 com novidades. Mas, muito irá depender da procura que sentimos da parte dos clientes.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram