Nove em cada dez páginas web não cumprem com o Regulamento Geral de Protecção de Dados (RGPD). Um estudo de 10.000 websites no Reino Unido descobriu que apenas 11,8% preenchiam os requisitos mínimos impostos pela União Europeia. O resto dos sites utilizam técnicas que dificultam a recusa o seguimento cookies para o utilizador.

Segundo o RGPD aprovado desde 2018, os sites precisam do consentimento dos utilizadores, e essa permissão deve ser informada, específica e fornecida livremente.

Os websites dificultam ao utilizador recusar o seguimento por meio dos cookies. Em alguns casos isso acontece porque não há botão «rejeitar tudo» ou o utilizador tem que clicar várias vezes para encontrá-lo.

Outro dos problemas mais recorrentes é que os sites utilizam plataformas de gestão de cookies, tornando mais complicado para os utilizadores serem corretamente informados a fim de dar o seu consentimento. Estas técnicas, conhecidas no estudo como ‘padrões escuros’, tornam mais provável que os utilizadores aceitem cookies em vez de os rejeitarem.

Google limita cookies de terceiros

A Europa deu um passo em frente para proteger o utilizador com o RGPD em 2018, e agora o Google está a tomar uma posição. A multinacional quer proteger o utilizador de publicidade invasiva, pelo que irá remover cookies de terceiros do seu navegador de Internet Chrome no prazo de dois anos. Desta forma, o Google está, pela primeira vez, a colocar um prazo nos cookies, um dos pilares fundamentais do negócio de publicidade do Google.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram