Um estudo realizado pela Juniper Research dá conta que os pagamentos B2B facilitados por entidades não-bancárias vão ultrapassar os 53 mil milhões em 2022,o que representa um crescimento de 42% e torna estes fornecedores responsáveis por 12.6% dos pagamentos.

Assim, os pagamentos B2B não-bancários vão ultrapassar o volume de 2019 em 2021, comprovando que a passagem dos pagamentos offline para pagamentos online e a necessidade de uma maior eficiência estão a ajudar os vendedores não tradicionais.


Assim, à medida que as empresas recuperam da crise provocada pelo covid-19,  reavaliam as suas operações no sentido de maximizar a eficiência. Como consequência, os bancos e os operadores tradicionais de transferência de dinheiro são pressionados por agentes mais recentes e inovadores, que oferecem soluções mais rentáveis.

Fintech Players: Inovação Digital

O estudo de Pagamentos B2B: Domestic, Cross-border & Instant Payments 2020-2025, analisa a oferta e a inovação digital de 20 fornecedores de pagamentos B2B.

Os 3 principais fornecedores não-bancários identificados pela Juniper Research como líderes de Inovação foram: TransferWise, Veem e Currencycloud, pela capacidade digital inigualável em termos de eficiência, custo e valor.

Automatização: Aumentar a Eficiência

A automatização será crucial para fixar os desafios enfrentados pelas empresas nos seus processos de pagamento. Devem utilizar APIs abertas para simplificar a partilha de dados entre diferentes sistemas.

No entanto, a automatização exige um ecossistema colaborativo, em que os fornecedores de pagamentos B2B integrem os seus sistemas com pacotes ERP e de contabilidade

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram