Mercado Europeu – O excesso de confiança nos mercados não é sustentável

Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en pinterest
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

A Accenture e a GEODIS analisaram 200 marcas de renome na área do retalho e bens de consumo omnicanal na Europa e nos EUA. O estudo chegou à conclusão que não é sustentável depender de mercados.

Descobertas do estudo:

1) Logística não dimensionada

Das marcas europeias, 54% acham que o seu potencial de comércio eletrónico é prejudicado pelas suas capacidades logísticas (logística não é dimensionada para suportar a aceleração dos negócios online).

Assim, encontra-se uma justificação tanto para retalhistas como para marcas que recorrem aos mercados online. Devido ao estudo realizado, constatou-se que depender de mercados não é sustentável.

Muitas marcas usam os mercados como um balcão único para a venda dos seus produtos. Isso permite que eles atinjam um público amplo e compensem a falta de recursos e infraestrutura logística, ao mesmo tempo em que atendem à experiência esperada do cliente.

Sohel Aziz, diretor-gerente da Accenture.
2) Vendas online diretas

A pandemia trouxe grandes mudanças no local de vendas das marcas. Durante o confinamento, as vendas online duplicaram, enquanto que as vendas online diretas quadruplicaram.

56% das marcas europeias acham que as suas vendas online diretas excederão 20% em 3 anos.

A atualidade dos mercados europeus

Mais de metade das empresas europeias dependem de mercados
  •  59% das empresas europeias dependem das vendas online –  percentagem superior à das empresas americanas – 46%;
  • Antes da pandemia, os mercados online tinham uma participação de 28%;
  • Durante a pandemia, os mercados online atingiram uma participação de 38%.
Depender de mercados não é sustentável

De acordo com o estudo, a maioria das marcas afirmam que o excesso de confiança nos mercados não é sustentável.

64 % das empresas dizem ainda que a sua primeira ou segunda prioridade nos próximos seis meses é reduzir a dependência dos mercados.

Atualmente, apenas 5 a 8 por cento das vendas online são vendas diretas de sites das próprias marcas. As marcas querem aumentar essa participação para 20% ou 30% nos próximos três a cinco anos . A pesquisa mostra que as marcas estão cientes de que melhorar as suas capacidades logísticas omnicanal é essencial. Para atingir os seus objetivos, ajustes são necessários com urgência.

Sohel Aziz, diretor-gerente da Accenture.

O futuro

Reduzir a dependência do mercado é a principal prioridade para a maioria das empresas.

Dentro de 3 anos, 56% das empresas europeias querem vender diretamente aos consumidores através da sua própria loja online, com o objetivo de gerar 20% das suas vendas totais através do online.

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Língua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
GDPR logdate ok:
Please don't insert text in the box below!
Compartir en facebook
Compartir en twitter
Compartir en linkedin
Compartir en pinterest
Compartir en whatsapp
Compartir en telegram
Compartir en email

Deixe um comentário

Tu dirección de Email no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Ir arriba