O evento E-commerce Connect vai realizar a sua 3ª edição e este ano conta com a Ecommerce News Portugal como media Partner. A primeira edição foi em 2018 e desde aí têm dado continuidade a este evento e proporcionada inúmeras reuniões e negócio.

Tivemos a oportunidade de conversar com dois dos fundadores deste evento de negócios, João leitão e Vasco Moreira que nos deram a sua opinião sobre o estado do e-commerce em Portugal e falaram-nos sobre o evento que vai decorrer dia 29 e 30 deste mês.

Ecommerce News Portugal: Qual é a situação atual do comércio eletrónico em Portugal?

João Leitão: O e-commerce em Portugal, assim como no sul da Europa, está a ser desenvolvido a um ritmo mais acelerado de que no centro porque temos um gap por conquistar e na minha opinião estamos no caminho certo. Nós tínhamos e tivemos empresas do setor de e-commerce e percebemos, na altura, que o crescimento do setor em Portugal estava aquém do que poderia ser e por isso achámos que um evento que pudesse juntar várias companhias internacionais, trazer Know-how ou trazer soluções era um fator importante para acelerar o e-commerce nacional. Na nossa opinião somos, até pelo evento que organizamos, catalisadores de uma aceleração do e-commerce.

O nosso segundo objetivo era promover o encontro das várias lojas online do Norte e do Sul de Portugal, que não têm oportunidade de se encontrar e falar umas com as outras, e criar um meio que fosse pré-selecionado, com cerca de 200 a 300 profissionais, que permitisse uma interação e alargamento do Network, com vista à partilha e descoberta de novas oportunidades. Isso era o que queríamos para além de cimentar o próprio evento.

Ecommerce News Portugal: Quais são as principais barreiras ao crescimento do comércio eletrónico?

Vasco Moreira: Existem vários fatores sendo que qualquer resposta que possamos dar é apenas uma opinião. Os problemas maiores são sempre a logística, a segurança e a rapidez. Na hora de fazer uma compra, se a entrega demorar 15 dias é uma coisa, se demorar apenas umas horas, como já é possível, é outra. Há quem consiga comprar e receber no próprio. Em Portugal ainda é muito difícil isso acontecer e é preciso trabalhar nesse sentido.

Mas no dia que for possível receber a encomenda passado umas horas, porque hei de fazer uma compra sem ser pelo canal online? Clic para tuitear

Tem existido muito desenvolvimento tecnológico que tem permitido o crescimento exponencial do e-commerce, mas no nosso entender a logística é talvez aquela área que ainda tem muito para ser trabalhada para garantir padrões de qualidade. Existem outros fatores que ainda têm que ser tidos em conta como os fatores geracionais. Apesar de cada vez mais pessoas, mais velhas, comecem cada vez mais a confiar, ainda existe alguma desconfiança do ponto de vista da segurança.

João Leitão: Eu sou da mesma opinião que o Vasco e no fundo é o que diz o Elon Musk: para se lançar um produto no mercado tem que ser dez vezes melhor. E ou o e-commerce é 10 vezes melhor que o retalho presencial ou então está sempre aquém. Quando se é dez vezes melhor tem que se trazer esse valor. Não é à toa que vemos que os locais onde existe maior e-commerce em Portugal são mais distantes dos grandes centros urbanos, por exemplo as as ilhas ou o interior. Essas pessoas compram bastante porque têm menos oferta e têm mais tendência a comprar online. Num país como os Estados Unidos que é tão grande é difícil haver uma cobertura de produtos que abrange todo o país e é natural que o e-commerce aí também seja mais acelerado e há uma bola de neve que vem a partir dessa necessidade.

Em relação aos pagamentos em Portugal estamos a dar passos largos para ganhar essa confiança. Sobretudo nas novas gerações, já lá vai a história do cartão de crédito e do medo embora gerações mais velhas poderem ainda ter um pouco dessas desconfianças, mas quando o desejo de obter supera o medo de perder é quando se dá o avanço e para além disso o e-commerce tá mais profissionalizado em Portugal, o cliente também é diferente e essa confiança começa a passar.

Ecommerce News Portugal: E-commerce Connect. O que me podem dizer sobre o evento?

João Leitão: Eu, o Vasco e o Gonçalo Mendes, o outro fundador, já tínhamos trabalho juntos noutra empresa e vendíamos uma solução para e-commerce. Estivemos presentes em vários eventos internacionais e percebemos que este formato que trouxemos para cá com reuniões 1 para 1, palestras mais viradas ao operacional, não tanto para o CEO da grande empresa, mas para quem está nas operações da empresa e para diretor de marketing, era necessário para fazer benchmark de soluções e transmitir conhecimentos. Vimos isso como uma oportunidade de trazer este formato para Portugal, tentar adaptar o que vimos para formar networking, criámos o conceito e pouco a pouco mostrámos qual era o potencial. Assim surgiu o E-commerce Connect.

Como já estávamos no mercado há mais de cinco anos, conhecíamos muitos dos principais players em Portugal e capitalizámos um pouco o nosso Network para chegarmos a essas pessoas e montarmos um primeiro formato que tivesse valor para todos os intervenientes. Ou seja, queríamos que pudessem conhecer soluções de uma forma próxima. Existem grandes soluções, que muitas vezes não têm representante em Portugal e é difícil trazê-los para cá porque o mercado é pequeno e não estão interessados em investir numa grande estrutura organizacional para ter cá um representante e com este evento existe uma promoção desse contacto e por outro lado promove-se a aproximação das marcas internacionais aos principais players em Portugal e foi isso que conseguimos na primeira edição.

Vasco Moreira: Já agora, acrescentar ao que o João disse, nó vemos isto como uma oportunidade de criar este conceito diferente em Portugal que já existe noutros países. Nós tivemos por base outros eventos onde estivemos presentes. Imaginámos que seria uma oportunidade, uma vez que as pessoas não conhecem bem este formato, quando começámos era um bocadinho estranho, mas as pessoas aderiram. Na primeira edição conseguimos reunir por volta de 200 a 250 pessoas, foi surpreendente até para nós. Nessa edição as reuniões faziam parte do programa, mas eram algo secundário. A adesão às mesmas foi de 30% e no ano seguinte superou as expectativas porque as lojas queriam todas ter reuniões e de tal forma que fomos adaptando o evento às necessidades.

Como o João gosta de dizer somos todos customer centric, fomos procurar saber o que podemos melhorar do ponto de vista das soluções e das lojas e de tal forma que acabámos por fazer um evento diferente, passámos a ser um evento de dois dias em que as pessoas dormem no hotel, convivem, jantam, almoçam e partilham experiências extra palestras, extra reuniões e portanto há aqui inúmeras possibilidades de se apresentarem. Apesar de estarmos num ecossistema que não é assim tão grande, muitas vezes acontece como no dia a dia que não conhecemos o nosso vizinho de cima e vivemos no mesmo prédio. A nossa ideia é que eles possam conhecer-se porque se é uma pessoa que tem experiências positivas com determinadas soluções porque não há de partilhar com os seus homólogos de outras lojas para que assim possam crescer? Às vezes até nem são áreas competitivas, trabalham só no ecommerce, e por que não se hão-de entre ajudar uns aos outros?

Para completar a resposta, notámos também que havia aqui o interesse da parte dos marchands ou das lojas de ter um dia específico de trabalho para ter várias reuniões de uma forma estruturada e organizada. O dia a dia deles já é suficientemente preenchido com os seus trabalhos e têm muitos pedidos para reuniões com eles para tentar apresentar novas soluções e acabam por não ter a disponibilidade mental, nem estar preparados para ouvir e aqui há um dia indicado para isso. Neste caso dois dias.

A nossa ideia é só uma: que o e-commerce possa crescer em Portugal de uma forma sustentada. Clic para tuitear

João Leitão: Nós condensamos num só dia uma consulta ao mercado em que os diretores de e-commerce podem ter uma reunião com aquela solução que pode ajudar especificamente o seu negócio, podem falar com outras lojas online para saber como é que essas soluções os ajudaram, ou seja, podem trocar experiências e ao final deste dia conseguem criar road map das implementações para o novo ano e daí este evento ser em Janeiro, para permitir o planeamento da implementação que possa ajudar o e-commerce a crescer.

As reuniões têm que ser marcadas previamente. No dia, cada pessoa, tem uma agenda personalizada. Este ano estamos a falar de mais de 1000 reuniões o que pode movimentar muito dinheiro e é interessante pensar deste ponto de vista. Para além das reuniões agendadas, existem reuniões informais que se vão dando ao longo dos dois dias.

Ecommerce News Portugal: Algum caso de sucesso nas edições anteriores que se tenha destacado particularmente?

Vasco Moreira: Há muitos e às vezes com clientes que estavam fora do radar e que veio a revelar-se um grande cliente. Portanto há sempre. E a prova é que os patrocinadores continuam a vir.

João Leitão: Como vais perceber há um mood no evento, é peculiar porque todos os intervenientes estão felizes porque as reuniões começaram uma série de novos potenciais clientes e as lojas e os seus diretores de e-commerce têm novas visões e novos planos de ação. Nota-se que há uma dinâmica diferente e esse mood é transmitido e é muito interessante essa partilha e para nós em particular porque vemos que temos uma missão cumprida. E é isso nós queremos, promover boas oportunidades para as soluções, oportunidade de mostrar as mais valias, que o e-commerce nacional e os diretores de e-commerce também tenham em plano implementar essas novas tecnologias para levantar o negócio.

Vasco Moreira: Em relação à pergunta, nós não podemos revelar por questões de confidencialidade, mas sabemos que sim, realizaram-se muitos negócios e até por valores que nós próprios ficamos muito surpreendidos. Realmente vai depender da dimensão da loja e do tipo de solução que é oferecida, mas há negócios muito grandes no nosso entender e muito importante para ambos os lados.

Em relação ao mood que falávamos, acrescentar que estamos a falar de uma audiência muito qualificada, ou seja, muito específica do e-commerce. São pessoas com capacidade de tomada de decisão no lado dos marchands e por outro lado da parte das soluções também são os seus representantes e o que isto faz é que, mesmo nos momentos de coffee break, um participante para onde quer que olhe vai encontrar alguém que é interessante para ele e acaba por ocorrerem muitas reuniões informais.

Ecommerce News Portugal: Quais são as principais questões que serão tratadas durante o dia?

João Leitão: Muito à base do e-commerce, soluções de pagamentos, logística, advertising, marketing, tudo o que seja media, CRM. No fundo quase toda a cadeia do e-commerce de uma ponta à outra. As diferentes lojas estão em diferentes fases e por isso têm diferentes necessidades, umas estão a olhar para a logística e outras já estão a olhar para a questão de afiliados e por isso vamos ter um portefólio de várias soluções para que possa ir ao encontro das necessidades de cada diretor de e-commerce.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram