A chamada «última milha», o último passo antes da entrega do produto ao cliente, juntamente com as «exigências» que a sociedade atual impõe às empresas de logística e comércio eletrónico, tem sido um desafio para o setor. Em resumo, reunir um sistema de gestão integral baseado em novas tecnologias, big data, machine learning, etc., que permitam otimizar a gestão e torná-la mais sustentáveis é a tendência clara na logística.

Nas palavras de Manuel Montesinos, Director de Marketing da Mactual.com, «Questões como a segurança no pagamento, entre outras, estão a ocupar um lugar secundário entre as preocupações dos clientes de comércio eletrónico, por oposição a um maior rigor e rapidez nos prazos de entrega.  Vamos ter em mente que já estamos a falar de compra «ao vivo» ou entrega no mesmo dia. Não há dúvida de que a logística está a ser e será no futuro o cavalo de batalha para o prestígio do sector do e-commerce”.  

Alguns exemplos de novidades logísticas presentes e futuras

«Click and collect”: Pontos de recolha da conveniência do cliente e lojas físicas já são oferecidos por várias empresas de comércio eletrónico, num sistema que permite uma redução de custos, além de ser mais sustentável.

Novas plataformas logísticas: A ascensão do comércio eletrónico exige a existência de novas instalações próximas aos centros urbanos para levar o produto aos clientes, mas também estão a estabelecer plataformas de distribuição urbana dentro das cidades.

«Caixas de correio inteligentes«: são instaladas em edifícios residenciais e de escritórios e as empresas de transporte que aderem ao sistema entregam o produto, independentemente de o cliente estar ou não disponível.

«Dropshipping«: Consiste numa venda online através do fornecedor e do cliente final, ganhando agilidade e rapidez nos envios. Isto significou um grande esforço logístico para os distribuidores, uma vez que o armazenamento e envio dos produtos até ao cliente final é feito diretamente por eles. Não obstante, com isto tem-se ganho em qualidade e prontidão face ao cliente final.

Veículos, presentes e futuros: Se já existe uma tendência para a utilização de veículos comerciais mais leves ou híbridos, o futuro deve necessariamente passar pelos veículos elétricos. E num futuro não tão distante, veículos autónomos como o Nuro e os drones.

Mesmo assim, com todos os avanços atuais e futuros, os responsáveis pela Mactual.com entendem que a velocidade não nasceu como uma exigência do cliente, mas foi sim o e-commerce que a introduziu como elemento diferenciador. No entanto, deve ter-se em mente que «embora que para um cliente seja fundamental a velocidade na entrega, há uma percentagem de envios para as casas que não é entregue na primeira tentativa, na maioria dos casos por incompatibilidade de horário do cliente«, comentou Mactual.com.  Este tipo de incidente é atribuído à logística «não lhe deveria ser atribuído, mas sim o contrário. Atualmente, as empresas do setor investem muito em encontrar soluções inovadoras para estas barreiras», conclui Mactual.com.  

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram