Marketing e poker são termos e campos muito diferentes, pertencentes a setores completamente distintos. Se pararmos e nos aprofundarmos no marketing e no poker, veremos que compartilham essências, como na secção estratégica. Se colocarmos um exemplo será mais fácil de perceber.

O termo sizing responde a uma aposta escolhida pelo jogador de poker em cada jogo e que serve como um elemento estratégico. Ganhar ou não esta mão depende da estratégia. O mesmo se aplica ao marketing. O impacto de uma campanha ou não depende da estratégia que está a ser implementada e, principalmente, nesses momentos em que tudo é consumido em alta velocidade e virtualmente. Vejamos, nas linhas seguintes, que relação se estabelece entre o marketing e esse conhecido jogo de cartas.


A primeira coisa é estabelecer uma visão geral do poker para que o vejamos como mais do que apenas um jogo de cartas. Não é apenas uma opção para o nosso lazer, como pode acontecer noutros jogos. O poker requer um alto grau de conhecimento das muitas combinações de cartas que podem ser geradas numa determinada mão. Além disso, este jogo de cartas requer um alto grau de concentração, caso contrário, perderemos aquela mão muito rapidamente. O poker também exige que o jogador saiba interpretar as estratégias dos oponentes e, assim, antecipar as decisões que eles podem tomar num jogo. O controlo das emoções e sensações é outro elemento-chave no desenvolvimento de um jogo. E sim, como em qualquer jogo de cartas, existe o elemento conhecido por ‘bluff’.

Promoção e comunicação

Uma vez estabelecidos os prós e os contras do poker, para além das diferentes modalidades e torneios, este jogo tem uma relação estreita com o marketing, ou vice-versa. Ambos são aliados. Neste momento, se precisarmos, por exemplo, de fazer uma campanha promocional para um determinado item, este jogo pode ser usado entre os jovens devido à crescente popularidade que tem, e isto tem muito a ver com o desenvolvimento das novas tecnologias e plataformas. Com isso, estabelece-se esta primeira relação, que tem a ver com ações de comunicação e promoção.

Outro fator em comum é a universidade. Sim, porque marketing e poker são estudados em centros universitários. O primeiro é óbvio. Existe uma série de regras e princípios que são estudados nos graus de comunicação, negócios e outros estudos. O poker não tem uma carreira típica, mas é um jogo intimamente relacionado à estatística e à matemática. Saber sobre números e combinações é um fator interessante quando se trata de desnivelar este jogo.

Dito isso, vamos para um estudo que examina a relação entre poker e marketing. Os conhecidos economistas Thomas John Miles e Steven Levitt publicaram uma análise desta relação, onde mostram que este jogo de cartas contém uma série de elementos muito úteis em termos de promoção e comunicação, embora também o poker possa beneficiar do marketing. Um exemplo desta última afirmação está no crescimento deste jogo entre as novas gerações digitais. O  poker é um jogo antigo, mas tornou-se muito popular atualmente graças a uma elaborada estratégia promocional.

Controlo das emoções

Se nos concentrarmos na estratégia, veremos outra nota desta relação entre o poker e o marketing. O poker é um jogo de cartas, mas, ao contrário de outros jogos de cartas, não está intimamente relacionado ao acaso ou sorte. Não faz mal ter uma certa fortuna quando se trata de receber uma boa mão de cartas, mas no sucesso ou no fracasso dessa mão está a estratégia que se mantém. Se escolhermos uma má estratégia, vamos acabar por perder, mesmo que as nossas cartas sejam boas. Ou vice-versa. O mesmo, pode-se dizer, que acontece no marketing. Podemos ter um bom produto, mas se não o soubermos divulgar e comunicar bem as suas virtudes, ninguém o vai comprar. Por exemplo, se não tivermos uma presença online, estaremos a esconder a presença do nosso produto de um enorme número de pessoas.

Além de uma estratégia correta (isto é, nada garante o sucesso num jogo de poker ou numa campanha de promoção de um determinado item), em ambos os casos deve saber administrar as suas emoções e sentimentos. Nas cartas, como dissemos, devemos saber esconder muito bem os nossos reflexos, senão isso terá um impacto negativo na nossa estratégia de jogo; o mesmo se aplica ao marketing. Tem que saber valorizar esses aspetos ao comunicar com as pessoas. Em ambos os casos, deve ser criativo. Porque quando faz uma campanha, tem que avaliar desde o momento em que a mensagem é enviada, os termos usados, o design usado e o canal usado para transmitir a mensagem; bem como as novidades do dia-a-dia. E não é nada fácil porque a atmosfera que envolve o utilizador é muito mutável.

Devido a tudo isso, a prática é outro fator compartilhado pelo poker e pelo marketing. A partir de uma experiência vivida e de diferentes situações, poderemos aproximar-nos do nosso objetivo da forma mais correta. E tenha sempre um plano alternativo para o caso de algo dar errado. Para além da prática, ser constante é outro elemento comum nesta relação que vemos e que se intensifica muito com a chegada do negócio online. Pode vender para todos, mas precisa de ter uma boa estratégia de marketing; E o mesmo acontece com o poker, pois podemos jogar a qualquer hora e lugar do mundo, mas com agilidade nos planos de jogo.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram