Social commerce, ou Comércio Social em português, é uma forma de vender online através das redes sociais. As redes sociais são plataformas que permitem (e fomentam) a interação social, facilitando ao consumidor a troca de opiniões e auxilio na compra e venda de produtos. Segundo a plataforma Hootsuiteem novembro, o social commerce era um mercado de 89,4 mil milhões de dólares e prevê-se um crescimento de 604,5 mil milhões nos próximos sete anos.

As redes sociais deixaram de ser só plataformas para colocar fotos e likes e viraram autênticos centro comerciais.  Ver um produto no Instagram, clicar e passar diretamente ao check-out já é possível. O Facebook foi provavelmente das primeiras plataformas de social media a ter esta vertente comercial, ainda que forma informal, através de publicações e grupos «amadores» de compra e venda de produtos (atualmente muito mais user friendly)


Quais as plataformas mais relevantes?

Certamente já devem calcular quais são. Pois, essas mesmo! O  Instagram e Facebook são as principais plataformas para os retalhistas que se dedicam ao social commerce. Ao mesmo tempo que utilizam as redes sociais para gerar engagement com o cliente é de esperar que também aproveitem para promover um momento de venda. Durante esta pandemia o uso das redes sociais aumentou e estas plataformas tornaram-se terreno fértil para o social commerce.

Uma dica (podes ver mais aqui) para os retalhista que estão a entrar no social commerce é que olhem para as características das próprias redes sociais e ter em conta o que o utilizador procura, principalmente em época de pandemia, forma de conhecer o produto o melhor possível antes de o comprar. Por isso as avaliações do clientes e o User Generated Content (UGC), ou em português conteúdos gerados pelos utilizadores tornaram-se ferramentas de marketing valiosas e fatores-chave de crescimento no comércio moderno.

De acordo com os dados apresentados pelo ecommercDB:

  • 89% dos retalhistas já se dedicam ao social commerce ou estão a planear implementar estratégias dentro dos próximos 24 meses, o mais tardar.
  • 75% dos retalhistas entrevistados disseram que iriam aumentar os investimentos em atividades de marketing nos meios de comunicação social nos próximos 12 meses ou, pelo menos, manter o seu nível atual de investimento.
  • 92% declararam que estavam atualmente a utilizar o Instagram como uma plataforma para atividades de marketing.
  • 77% dos retalhistas a utilizarem o Facebook para fins de social commerce.
  • Seguem-se Twitter e Pinterest, com utilizações de 57% e 47%, respetivamente.
  • Apenas 11% dos executivos inquiridos não estão a considerar o social commerce para as suas empresas.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram