«As redes sociais não são coisas sérias!» Já lá vai o tempo em que isto era uma verdade. Hoje em dia passamos horas «agarrados» às redes sociais e estas passaram a ser um dos grandes veículos de informação. Quem ainda não se apercebeu disso e não tira proveito delas estará certamente a ficar para trás.

A pandemia do COVID-19 veio pôr o online no centro das atenções e tudo o que com ele se relaciona. Ao longo desta pandemia chamou-me particularmente a atenção publicações da Guarda Nacional Republicana e neste sentido entrei em contacto com Hélder Barros,tenente-coronel, porta-voz e Diretor de Comunicação da Guarda Nacional Republicana, para nos explicar desde dentro o que fizeram a nível das redes sociais no decorrer da pandemia COVID-19.


#FiqueEmCasa. Por si, pelos seus, por TODOS. #JuntosVamosConseguir parar o COVID 19!

Passamos tanto tempo a pensar no futuro, que nos esquecemos do presente. Agora que o trabalho deixou de ser prioritário, as viagens e o lazer também, dedique o seu tempo ao que realmente importa.#FiqueEmCasa. Por si, pelos seus, por TODOS. #JuntosVamosConseguir parar o COVID 19!

Publicada por GNR – Guarda Nacional Republicana en Viernes, 20 de marzo de 2020

A GNR está presente nas plataformas mais utilizadas em Portugal como o Instagram, Twitter, YouTube e Facebook, que se destaca pelos seus mais de 650 mil seguidores. No momento em que o medo e incertezas começam a entrar a Portugal, a GNR também entrou em ação e aproveitou as plataformas em que estavam presentes para assegurar a disseminação de informação oficial, avisar a população contra burlas, evitar a propagação de fakenews e relembrar para alguns dos problemas que podem surgir com mais intensidade nesta altura (violência doméstica, abandono de idosos, phishing, abandono animal, entre outros).

«Durante a pandemia, são várias as informações que damos aos nossos seguidores, vertidas em publicações, pretendendo abranger o maior número de áreas possíveis. Numa fase inicial porque o cidadão necessitava de ter muita informação sobre o ainda “desconhecido” vírus, decidimos fazer muitas publicações. Explicar o que é, como se transmite, os sintomas mais comuns e como nos podemos proteger. Nestes primeiros dias, procuramos partilhar informações da DGS e sensibilizar as pessoas para esta realidade» explica Hélder Barros.

Como chegar aos portugueses através das redes sociais no meio de tanto barulho?

«Quando a maioria dos portugueses começou a perceber o que está em causa, a compreender a gravidade da situação, as dificuldades e aquilo que a situação exige de cada um, tínhamos as redes sociais inundadas de publicações e os espaços noticiosos dos órgãos de comunicação social preenchidos unicamente com este assunto. É aqui que é importante inovar»

Atraíram o cidadão comum com publicações do seu dia a dia e com referências a temas do momento. Tentam evitar a fadiga da informação criada pelo crescente ruído que se gerou a par do aumento do número de pessoas que estão conectadas às redes sociais. Com este objetivo em mãos a GNR converteu «aquilo que são os conselhos da DGS em iniciativas nossas, como a realização de vídeos simples, que explicam a importância de ficar em casa ou a importância de lavar as mãos, ou utilizar contextos atuais (o chamado real time marketing), como a estreia da temporada de uma série com elevada adesão em Portugal, para veiculamos um conselho (no caso “La casa de papel”)«.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram