Pandemia muda comportamento de consumo dos portugueses

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Os gastos com bens essenciais são cada vez mais o foco principal das famílias portuguesas. A pandemia veio revolucionar aquilo que vulgarmente chamamos de hábitos de consumo e o que outrora eram caprichos, hoje ficam de fora dos orçamentos da população. Os gastos em restauração e alojamento quase que se extinguiram e agoras as prioridades são outras.

O INE divulgou que em 2020 o consumo de produtos alimentares e de bebidas não alcoólicas cresceu de 19,9% para 22,4% nos gastos dos portugueses. Num ritmo crescente, também os gastos relativos à habitação e despesas como água, eletricidade e gás subiu de importância, passando a representar 10,3% do orçamento das famílias portuguesas.

Enquanto isso, os gastos com acessórios, equipamentos domésticos e manutenção da habitação representam 7,1% das compras. Assim sendo, uma família portuguesa dedica 40% do valor de compras a estas categorias de bens relacionadas com a vida em casa.

Novo Normal

Com os sucessivos confinamentos e restrições impostas à circulação em território nacional, os consumidores mudaram o modo como compram alimentos e bens de grande consumo. Durante a crise pandémica, o comportamento de compra continuou a evoluir. Só falta saber se esta nova forma de comprar chegou para ficar ou se é temporária devido à altura atípica que vivemos.

Num artigo da McKinsey publicado em dezembro de 2020, foram examinados os hábitos de compra de quatro países da UE – França, Alemanha, Itália e Espanha – e do Reino Unido, entre março e setembro de 2020.

Durante os meses analisados, cerca de 15% dos inquiridos compraram bens alimentares e de grande consumo num site de ecommerce que nunca tinha utilizado anteriormente. Dentro destes 15%, mais de metade afirma ter intenção de continuar a comprar nesse site, pelo menos, parte dos bens de que necessita.

Apesar de haver quem fique satisfeito com as suas compras online, nem todos gostaram desta experiência. Entre os inquiridos britânicos 33% dos utilizadores confessaram estar bastantes satisfeitos com o processo de compra e entrega enquanto que 5% expressaram um forte desagrado. 

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Lengua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
gdpr logdate ok:
Please don't insert text in the box below!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

Tu dirección de Email no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Ir arriba