Retalho Alimentar Tradicional regista níveis acima da pré-pandemia

O recente relatório da REDUNIQ, conclui que o Retalho Alimentar Tradicional, constituído pelas mercearias de bairro, é um dos setores económicos que mais cresceu desde o início da pandemia, tanto no número  de transações como na faturaçãoOs valores alcançados foram superiores aos da pré-pandemia, tendo sido registado um total  13% de transações  e 28% ao nível da faturação.

Também o ticket médio aumentou, tendo sido registado 18,51€ no período pré-pandemia e agora é de 21,03€.

Segundo Tiago Oom, Diretor da REDUNIQ, “o crescimento do Retalho Alimentar Tradicional deve-se a uma maior valorização deste tipo de estabelecimentos desde o início do confinamento em Portugal, uma vez que representam uma alternativa às grandes superfícies, não só pela sua proximidade às habitações (evitando assim que as famílias façam grandes deslocações para realizar as suas compras), como pela maior segurança que estes podem proporcionar, já que existe uma menor concentração de pessoas e, por sua vez, um menor risco de contágio”.

A restauração é outro setor em destaque que ultrapassou em 50% a  faturação registada no período pré-pandemia. Para Tiago, “a ainda pouco expressiva faturação registada neste setor reflete sobretudo a reabertura gradual dos estabelecimentos, dado que muitos não abriram portas no dia 18 de maio. Se na primeira semana da segunda fase de desconfinamento tínhamos apenas 40% dos restaurantes e cafés abertos ao público, na semana seguinte esse valor aumentou 94%, com 77% do total de estabelecimentos de restauração já em plena atividade”.

Evolução nos outros setores e localidades

O relatório apresenta ainda a evolução de outros setores, como dos eletrodomésticos e tecnologia, saúde e moda. Sobre o primeiro, os dados mostram que têm mantido a faturação em níveis superiores, algo que faz sentido visto que a tecnologia está cada vez mais presente na vidas das pessoas, tanto para uso pessoal como profissional. Na área da saúde, foi registado 82% da faturação alcançada antes da pandemia e na moda a faturação é equivalente a 50% do total faturado no mesmo período.

Já sobre a faturação global dos negócios, a REDUNIQ refere que aumentaram em 9,5% que representa 80% do total faturado no período pré-pandemia.

A última semana ficou marcada também pela reabertura de mais de 2 mil pontos de vendas que originou uma subida de 5,5%.

A nível local, Portalegre alcançou os valores de faturação pré-pandemia na 3ª semana de desconfinamento, tendo sido seguido pelos distritos de Bragança, Santarém e Beja.

De uma forma geral, foi registado um aumento 9,3% face à semana anterior, sendo a Região Autónoma dos Açores e os distritos de Faro e de Lisboa as áreas com subidas mais expressivas, com crescimentos de faturação de 29,5%, 13,8% e 13,1%, respetivamente.

Por fim, o relatório destaca o contactless que voltou a alcançar  valores de faturação 77% acima dos níveis da pré pandemia. Este método de pagamento representa  23,3% do total faturado pelos negócios portugueses.

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Língua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
GDPR logdate ok:
Please don't insert text in the box below!

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Scroll to Top