Retalho online na Alemanha não recupera por igual

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Entre janeiro e abril, as vendas de e-commerce atingiram um volume de 23,3 mil milhões de euros. Apesar da queda em março, provocada pela pandemia, os resultados são 5,8% mais elevados quando comparados com o ano anterior.

O inquerito «Interactive Retailing in Germany» revelou que em abril, o retalho online aumentou 17,9% as vendas e que atingiu 6,82 mil milhões de euros. No entanto, nem todas as categorias fazem face aos minímos do mês anteior.

Neste sentido, a falta de confiança do consumidor alemão no retalho e a compra orientada para as necessidades são tendências que provocaram no vestuário um resultado 8,8% inferior, uma queda no calçado de 11,3%, 40,3% em joalharia e menos 23,7% para asuto&motocicletas, dado o verificado em 2020.

O crescimento deu-se na Alimentação- 101%, Produtos farmacêuticos- 87,3 %, Produtos de farmácia -55,1 %e Produtos para animais de estimação-20,2 %. Estes produtos estavam acessíveis durante a fase confinamento.

São dados que mostram que os consumidores utilizam o e-commerce como um fornecedor de confiança,o que o torna um elemento indispensável para qualquer conceito de retalho moderno.

QUER RECEBER NOSSA NEWSLETTER

INSCREVA-SE
Os campos marcados com * são de preenchimento obrigatório
Email: *
Língua: English (English) Português (Portugese) Español (Spanish) *
Nome: *
Empresa: *
Cargo:
Sector:
Aceito receber a newsletter e as comunicações da Ecommerce News de acordo com a Política de Privacidade:
Aceito receber comunicações comerciais:
GDPR logdate ok:
Please don't insert text in the box below!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Deixe um comentário

Tu dirección de Email no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

PODE GOSTAR

POSTS MAIS RECENTES

Pode interessar-lhe

JUNTA-SE A NÓS?

POSTS MAIS COMENTADOS

Ir arriba