As vendas de e-commerce chinês superaram as dos Estados Unidos e do Reino Unido nos últimos meses, e estima-se que em 2025, 44% das compras de bens de luxo no mundo serão feitas por chineses. Neste ano, espera-se que os turistas chineses gastem mais de 255.000 milhões de dólares. Juan José Llorente, Country Manager da Adyen em Espanha e Vice-Presidente de Vendas no Sul da Europa, analisa as principais características e necessidades deste mercado, concentrando-se nas soluções para vender mais a estes consumidores.

O mercado chinês está a converter-se numa grande oportunidade para os retailers a nível mundial, tanto online como offline. Na verdade, espera-se que o comércio eletrónico exceda 1,7 bilião de dólares na China até 2020, superando em muito os Estados Unidos. O número de compras feitas pelos consumidores chineses em datas especiais, como o Dia dos Solteiros (Singles Day) bate recordes todos os anos, e de acordo com dados revelados pela Alibaba (o grande marketplace chinês promove esta celebração a cada 11 de novembro) os números de crescimento ultrapassaram 27% em 2018, com vendas de 30.000 milhões de dólares.

Para os retalhistas ocidentais, é essencial oferecer aos consumidores chineses os seus métodos de pagamento preferidos. Muitos retailers acreditam que oferecer cartões de crédito internacionais cobre essa necessidade, mas não sabem que os consumidores chineses associam os cartões de crédito mais utilizados no Ocidente ao pagamento de comissões mais altas, o que os faz rejeitar. É essencial oferecer métodos de pagamento familiares e habituais, como o Alipay ou WeChat Pay, bem como os cartões de crédito mais populares no seu país, como o Union Pay. A plataforma de negociação unificada da Adyen integra todos esses métodos de pagamento para que os compradores – tanto na loja como no online – possam pagar sem atrito.

Os chineses, especialistas em produtos de luxo

Não é segredo para ninguém que grande parte da falsificações das marcas registadas a nível mundial tem vindo a ocorrer na China, o que tem levado os consumidores ávidos destes produtos a voltarem os olhos para os mercados e para as compras no estrangeiro. Esta é uma das razões pelas quais mais e mais turistas chineses aproveitam as suas viagens ao exterior para obter bens de luxo. De fato, espera-se que em 2025 os consumidores chineses gerem 44% do mercado de bens de luxo a nível mundial. E como se prevê que no próximo ano este setor diminua  globalmente entre 2 e 4%, espera-se que as marcas se concentrem principalmente no consumidor chinês.

Em 2017 os turistas chineses fizeram 130 milhões de viagens transoceânicas, com um gasto total estimado em 115.000 mihões de dólares, quase o dobro do feito pelos turistas norte-americanos no exterior. De todos estes turistas, metade eram millennials (15-29 anos), menos sensíveis aos preços. Não é em vão que são chamados de Segunda Geração de Ricos (Fu Er Dai).

Os métodos de pagamento favoritos dos consumidores chineses

No entanto, não é fácil para as marcas ocidentais atrair esses consumidores online, dado que as campanhas de publicidade nas redes sociais que funcionam tão bem aqui não têm efeito sobre os consumidores daquele país, devido às limitações a que esses canais estão sujeitos na China. A fim de chegar aos compradores chineses, há que usar os meios que eles mais usam, como WeChat ou Weibo. O mesmo se aplica aos métodos de pagamento: se queremos que os consumidores chineses se sintam confortáveis com a nossa marca, temos de lhes oferecer os seus meios de pagamento favoritos, que são Alipay, UnionPay e WeChat Pay.

WeChat é uma aplicação de mensagens instantâneas – como o WhatsApp – que também lhe permite efetuar pagamentos, ver notícias, marcar consultas médicas e muitas outras atividades, graças às integrações que foram disponibilizadas ao mercado. Tem 1.000 milhões de utilizadores ativos por mês, metade dos quais gasta pelo menos 90 minutos por dia usando-a, e 768 milhões são utilizadores do WeChat Pay, o método de pagamento incorporado à aplicação.

A Alipay é o método de pagamento do grupo Alibaba, com mais de 900 milhões de utilizadores em todo o mundo. Mais de 40 milhões de pequenas lojas, 80.000 retalhistas e 400.000 empresas utilizam este método de pagamento.

A UnionPay International é a maior emissora de cartões de crédito do mundo, com mais de 6.200 milhões de cartões aceites em mais de 125 mercados.

Oferecer estes métodos de pagamento tanto online como offline, seja através de um terminal de ponto de venda tradicional ou via telemóvel é essencial para os retalhistas que querem tornar-se os fornecedores deste enorme mercado representado pelos consumidores chineses.

E graças a soluções de negociação unificadas como a da Adyen, podem fornecer de forma rápida e sem atritos qualquer método de pagamento escolhido pelos seus utilizadores em qualquer lugar, através de qualquer canal, a qualquer momento.

Raio-X do turista millennial chinês

  •       Destinos preferidos: Estados Unidos, Reino Unido, Sul da Europa, Canadá, Singapura, Tailândia, Austrália, Japão, Coreia do Sul, Hong Kong, Macau.
  •       Lista de compras: produtos de marcas icónicas, edições limitadas de produtos de moda, produtos promovidos por formadores de opinião e influencers em redes sociais.
  •       Dispositivos: smartphone, laptop, desktop.
  •       Apps: WeChat, QQ, Baidu, Taobao, UC Browser, Alipay.
  •       Custo médio: 8.000 dólares por viagem (dependendo do destino e do número de viajantes).
  •       Métodos de pagamento favoritos (online, telemóveis e na loja): Alipay, WeChat Pay, China UnionPay, dinheiro, cartões de crédito pré-pagos.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram