Um dos países onde a Internet é mais utilizada para pesquisar produtos, mas com relutância em fazer compras online é Espanha. A loja física e as transações em dinheiro ainda dominam o cenário de vendas do negócio, embora o uso de cartões seja equiparado ao dinheiro em frequência de uso para compras diárias, conforme extraímos do relatório ‘O Futuro da Aceitação de Pagamentos’, elaborado pela UniversalPay. Os nossos vizinhos estão na vanguarda do uso de smartphones e, portanto, das tecnologias móveis sem contato, que estão a causar um processo de conversão no mundo dos pagamentos, digitalizando-os pouco a pouco. Assistimos atualmente ao auge irreversível do ecommerce, à experiência de compra omnicanal e ao pagamento digital.

Para que esta ordenação se desenvolva corretamente, é importante que as empresas optem pela convergência entre os diferentes canais, prestando especial atenção aos diferentes momentos de pagamento que geram. Dessa forma, enfrentamos um cenário em que o desafio é poder iniciar um processo de compra num canal e terminá-lo noutro, sendo um processo rápido e seguro. A integração do mundo digital com o mundo físico, impulsionada pela utilização de smartphones e de outros dispositivos digitais, favorece uma maior diversificação das ferramentas de aceitação de pagamentos.

O aperfeiçoamento dos terminais de cartões contactless, a implementação de pagamentos online, a possibilidade de ter aplicações móveis e a adaptação aos meios de pagamento independentemente do canal de vendas, é essencial para o bom funcionamento do negócio, pois fideliza o cliente, para além de garantir a sua segurança.

Neste sentido, a tokenização dos cartões desempenha um papel fundamental na experiência de pagamento omnicanal. Este sistema criptografa os dados pessoais de cada transação num único código para um único uso, armazenando-os com segurança e permitindo a repetição dos pagamentos em operações de um clique. Esta tecnologia tem múltiplas aplicações em diferentes setores onde historicamente se trabalhou com débito direto, para que o cartão seja recolhido e tokenizado no primeiro pagamento e seja utilizado para pagamentos sucessivos, independentemente do canal de vendas, simplificando assim a gestão administrativa, reduzindo drasticamente o retorno das taxas e otimizando os custos.

Hoje em dia, são cada vez mais as operações realizadas com cartões, deixando claro quais são as novas exigências do cliente. Em 2017, houve 3,4 mil milhões de transações, um aumento de 12,6% sobre os números registados no ano anterior, de acordo com os dados que conhecemos, que representam o aumento dos pagamentos por cartão e como a sua aceitação entre os cidadãos evoluiu.

Assim, estamos um pouco mais conscientes de que nos estamos a caminhar para um futuro sem dinheiro, em que as moedas e notas serão substituídas por métodos de pagamento mais convenientes, seguros e rápidos do que nunca. O uso de cartões já é igual ao dinheiro em frequência de uso para compras diárias e o contactless começa a surgir como um método de pagamento.

No entanto, já não basta que os comerciantes tenham canais de compra diferentes. Eles precisam de algo mais. A estratégia é conectar todos os canais de uma mesma marca, para que haja uma conexão e uma interação coerente entre todos eles. O serviço online já não fator de exclusão do comércio físico; tornaram-se colaboradores e a loja digital foi integrada na física, podendo realizar buscas ou consultas do produto no estabelecimento. Para que a estratégia omnicanal funcione, é necessário ter em conta os gostos e preferências do cliente, bem como o seu comportamento, num compromisso claro de estabelecer uma estratégia de cross-selling. E só assim será possível melhorar a satisfação dos consumidores, otimizando a sua experiência de compra.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram