Ninguém duvida do poder de venda das imagens. Nos websites, o uso de imagens não se limita à ilustração de um produto, mas cria um vínculo emocional. Um estudo da Nielsen mostra que 63 % dos utilizadores que compram através de dispositivos móveis e tablets consideram que as imagens são mais importantes do que qualquer outro conteúdo da página. Então o que é que podes fazer com as imagens no teu site?

Esta é uma questão importante. Não importa o setor, seja ele e-commerce, viagens, hotelaria ou até mesmo bancário, o impacto do uso de imagens num website causa sobre os clientes é fundamental para o sucesso a longo prazo de uma marca.

No entanto, apoiar e manter imagens num site pode ser desafiador, e às vezes é negligenciado ao criar o design geral das páginas web. Um problema é a despesa de obter, criar, armazenar e pagar por imagens protegidas por direitos de autores; outra dificuldade é garantir que os clientes não tenham que aguentar longas esperas ao baixar imagens maiores, especialmente ao usar dispositivos móveis. Não é segredo que o carregamento de páginas é um fator-chave para fidelizar clientes aos sites de comércio eletrónico, mas a qualidade não pode ser comprometida.

O equilíbrio entre o impacto visual e o desempenho da web deve ser mantido. Para proporcionar uma experiência ótima e de alta qualidade, independentemente do dispositivo, pode ser seguida uma estratégia de web design adaptativo (RWD), que pode ser útil para redimensionar imagens, mas não resolve o problema do excesso de descarga. Pensa nos editores de notícias, por exemplo. Uma pesquisa da Skyword destaca que artigos com imagens relevantes recebem 94% mais visitas no total do que aqueles que não as incluem. No entanto, como os editores de notícias sabem, se as imagens forem muito grandes, a história em si pode demorar muito tempo a carregar.

A origem da imagem também deve ser tida em conta. As empresas pagam generosamente pelos direitos de imagens para personalizar os seus sites, mas transformar, converter ou modificar de alguma forma essa imagem acarreta riscos para a segurança. As vulnerabilidades associadas à edição de imagens aumentaram e, sem pretender ser muito dramática, uma imagem JPEG manipulada pode comprometer toda a operação de um website.

Para controlar os gastos, o armazenamento, a segurança e o tamanho da imagem, ao mesmo tempo que melhora a experiência do cliente através de downloads mais rápidos, precisas de uma boa estratégia e de uma solução ideal de gestão de imagens. Estas soluções são projetadas para otimizar as imagens e dar-lhes o tamanho, formato e qualidade adequados ao dispositivo. Ao eliminar o fator humano do processo, muitas vantagens são oferecidas, como o tempo e, portanto, os custos de recursos podem ser economizados.

Um dos nossos clientes reduziu o tempo de preparação de imagens em 25%, utilizando a gestão de imagens, pelo que puderam lançar o produto no seu website mais rapidamente, agilizando os tempos de venda. Para conseguir isso, tudo o que precisas de fazer é integrar a funcionalidade de gestão de imagens diretamente no teu fluxo de trabalho de ativos digitais. Outra vantagem das soluções baseadas na nuvem é que elas reduzem a infraestrutura física necessária para armazenar imagens.

Num cenário cada vez mais competitivo para melhorar a experiência do cliente on-line, a necessidade de ter imagens distribuídas e geridas corretamente é cada vez maior, de forma a aumentar a receita e criar vínculos com os utilizadores enquanto se controlam as despesas operacionais. Quanto à melhor forma de implementar uma estratégia de gestão de imagem devemos recordar, conforme indica a pesquisa realizada pela Netflix entre os seus membros, que não só as ilustrações foram a principal motivação para os utilizadores visualizarem o conteúdo, mas levaram apenas 1,8 segundos, em média, para ponderar cada título que encontravam. Não é muito tempo para cativar os clientes, por isso as imagens devem ser suficientemente boas.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram