O Runet já foi aprovado na Rússia. A implementação da «lei soberana da Internet» está a avançar a um ritmo acelerado e preocupante para os especialistas.

O Ministério das Comunicações russo anunciou que o país fez uma conexão com a RuNet, a alternativa da Rússia à rede global de Internet. O teste é mais um passo no plano de desligar completamente a Rússia da World Wide Web, que entrou em vigor em Novembro, após a sua aprovação por Vladimir Putin em Maio deste ano.

Embora não tenham sido revelados mais detalhes sobre os testes, ou mesmo sobre a própria operação RuNet, o ministério diz que as autoridades russas e os operadores de telecomunicações estão «prontos para responder a possíveis riscos e ameaças e para garantir o funcionamento estável da Internet«, diz o jornal russo Pravda. De acordo com o vice-ministro Alexay Sokolov, os resultados do primeiro teste serão agora apresentados a Vladimir Putin.


Por trás do projeto RuNet está a «Lei de Internet Soberana», aprovada no final deste ano. A legislação prevê que os sites russos operem sem conexão com servidores estrangeiros, dando ao governo russo o poder de «desligar» o país da World Wide Web por razões de segurança nacional. Segundo especialistas da BBC, o acesso ao conteúdo que seria bloqueado na região através de uma rede privada virtual (VPN) também não será mais possível no país.

Tal como as acções dos governos iraniano e chinês no que diz respeito ao acesso dos seus cidadãos à Internet, o projecto russo é preocupante para os especialistas, pois significa um maior controlo sobre o que os cidadãos do país fazem na Internet e impede a sua liberdade. Contudo, os planos da Rússia de «isolamento tecnológico» não mostram sinais de abrandamento. No início de dezembro, o país também aprovou uma lei que proíbe a venda de dispositivos como telefones inteligentes, televisores inteligentes, computadores e tablets sem aplicações russas pré-instaladas, de acordo com uma declaração da Duma.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram