Hoje, a China representa o maior mercado de volume para operações de comércio eletrónico, apesar de ser um país pouco maduro nesse setor. Representa, portanto, uma oportunidade única para fabricantes e marcas do resto do mundo entrarem num país onde a demanda por produtos estrangeiros é cada vez maior. Falar sobre ecommerce e China é falar sobre o Grupo Alibaba. Para entender melhor as diferenças e vicissitudes do mercado digital chinês, Fernando Aparicio, sócio-gerente da Amvos Consulting, realiza um seminário profissional sobre o Grupo Alibaba no dia 11 de dezembro em Madrid.

Ecommerce News (EcN): A Amvos Consulting lançou uma série de cursos de formação on-line. Qual é o objetivo?

Fernando Aparicio (FA): Na Amvos, a nossa missão é ajudar as empresas a digitalizar e internacionalizar os seus negócios oferecendo uma gama de serviços e assessoria em todas as áreas: do desenvolvimento técnico ao marketing digital, ajudando-os passo a passo a rentabilizar os seus negócios ao máximo. Mas se tudo isso não for acompanhado por formação que lhes permita entender e assumir as implicações e mudanças geradas pelas empresas digitais, o nosso trabalho é coxo. Com as nossas atividades de formação, queremos fornecer o conhecimento e a prática necessários para que eles possam enfrentá-los com uma garantia de sucesso.

EcN: O próximo será especificamente sobre o grupo Alibaba. Porquê uma monografia específica sobre esse player chinês?

FA: O Grupo Alibaba tornou-se uma referência obrigatória para a internacionalização digital de empresas. Domina de forma esmagadora o mercado chinês com uma gama imbatível de serviços que vão da logística aos serviços financeiros. Qualquer empresa que queira internacionalizar-se deve conhecer essa gigante dos negócios digitais internacionais, e é precisamente isso que oferecemos nestes cursos: informações aprofundadas, detalhadas e práticas para que as empresas interessadas possam entrar no mercado internacional com a ajuda de Grupo Alibaba.

EcN: Quando e de que maneira será ministrado o curso?

FA: A próxima edição está online e acontece na sexta-feira, 11 de dezembro, das 9h às 14h. Posteriormente os assistentes poderão aceder à gravação, sob pedido, para revê-la quantas vezes quiserem sem custo adicional. Além disso, dado o interesse que estamos a registar para este tipo de formação, faremos novas chamadas periodicamente.

Com uma quota de mercado de 70% do ecommerce local, estas empresas mantêm uma posição de domínio que não pode ser ignorada se quiserem entrar com sucesso na China com uma estratégia sustentável ao longo do tempo.

EcN: Que formação obterão alunos que realizem este curso?

FA: Obterão formação teórica e prática sobre o Grupo Alibaba, as empresas que o compõem, os diferentes setores de atividade que cobrem e, mais importante, formação prática sobre como começar a vender através do Alibaba.

EcN: Em que blocos o módulo é dividido?

FA: O workshop, com um componente eminentemente prático e baseado em casos reais, está focado na descrição dos serviços do grupo Alibaba, tanto internacionalmente (Alibaba.com e Aliexpress) quanto em alguns dos principais portais do mercado doméstico chinês (Tmall, Taobao e 1688.com). Com uma quota de mercado de 70% do ecommerce local, estas empresas mantêm uma posição de domínio que não pode ser ignorada se quiserem entrar com sucesso na China com uma estratégia sustentável ao longo do tempo.

EcN: Por que é importante saber tudo sobre o grupo Alibaba?

FA: Para perceber a sua importância no setor de comércio eletrónico, só tem que se lembrar que a quota de mercado de e-commerce da Amazon nos EUA é de 15%, atingindo mais de 70% do Alibaba na China. O seu domínio no mercado dos meios de pagamento é ainda mais relevante e a sua participação cada vez mais ativa em serviços colaterais aos oferecidos por meio das suas plataformas eletrónicas (logística, serviços financeiros, etc.) que o convertem, especialmente desde que obteve a sua licença bancária em julho deste ano, num provedor de serviços global, com uma proposta de valor, além disso, especialmente destinada a PME em todo o mundo.

Da mesma forma, o facto de que a Espanha foi, depois da Rússia, o segundo país do mundo com o maior número de compras na Aliexpress por ocasião do Global Shopping Festival a 11 de novembro demonstra a crescente popularidade no mercado espanhol de um dos portais mais internacional do Grupo.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram