Mais uma vez Leiria foi palco para o desenvolvimento digital. Nos passados dias 4 e 5 deste mês o Digital Export Open Day acolheu várias pessoas que falaram sobre o ecommerce e o mundo digital e muitas mais que aprenderam com estas palestras. Algo que todos os oradores estavam de acordo é que o foco tem que ser o cliente.

A relação com cliente não pode ser abandonada quando «já o temos». A marca tem que ter relevância para o cliente e estes dá-nos todos os indicadores. Para Luís Graça, Business Development Manager for Retail na SAS Portugal, é preciso:

  • Compreender o cliente
  • Comunicar
  • Aplicar analítica
  • Alterar o comportamento organizacional

Em relação ao primeiro ponto, podemos por começar por analisar o e-buyer online na prespectiva nacional. São considerados e-buyers regulares os que compram pelo menos uma vez por mês online e estes correspondem a 35% do total de e-buyers mas representam 81% das vendas totais disse Carla Pereira, Diretora de Marketing e comunicação na DPD. Pela primeira vez este ano definiram os perfis dos e-shoppers: os aficionados que compram tudo online, os epicuristas que compram por prazer e os eco-seletivos que compram em conformidade com a sustentabilidade do produtos. Dentro dos e-shoppers regulares 83% diz preocupar-se com a sustentabilidade.

«E depois da venda?» pergunta Carlos Latourrette, CEO da Latourrette Consulting. A preocupação com a experiência do cliente não deve terminar com a compra. A satisfação do cliente não depende exclusivamente do serviço ser entregue ou do produto, é essencial fornecer mais que a venda, um serviço pós-venda e um bom serviço pós-venda. O conhecimento do cliente é um factor importante para o sucesso de qualquer serviço e/ou marca. E conhecê-lo poderá ser feito através de várias ferramentas, uma delas o marketing de automação que está acessível a qualquer marca.

As marcas têm acesso a uma grande parte da informação sobre os seus cliente nos diversos pontos de contato. Poderam conhecer e captar o seu comportamento do seu cliente (tracking) dentro do site, nos momentos que o cliente está exposto à publicidade ( por exemplo newsletter, email), na loja física, nas app mobile e nas vendas. Ernesto Ferreira, Head of Global Sales da EGOI, explicou como o marketing de automação pode ser utilizado na compreensão do cliente e com essa informação tornar-se relevante para o cliente, melhorar a relação com o mesmo e obter melhores resultados para a marca. Segundo o especialista, um email a recordar o carrinho abandonado é de extrema eficácia e dados como estes acumulados na base de dados permitem ficar com fluxo de automação para depois testar as melhores soluções porque cada base de dados irá reagir de maneira diferente.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram