Os CTT fecharam 2019 com um lucro de 29,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 35,8% face a 2018, em resultado do aumento dos resultados operacionais da Empresa.

Os Rendimentos Operacionais registaram um aumento de 4,6% em 2019 face a 2018, para 740,3 milhões de euros. De destacar o forte crescimento no quarto trimestre de 2019, aumentando 9,6% face ao período homólogo, para 200,7 milhões de euros. Destaque para o Banco CTT, suportado pela evolução orgânica e pelo efeito da incorporação da 321 Crédito, dos Serviços Financeiros e também da área de Expresso & Encomendas cujos crescimentos compensaram o decréscimo verificado no Correio e Outros.

O EBITDA dos CTT aumentou 12,2% face ao ano anterior, para 101,5 milhões de euros, sobretudo devido ao crescimento orgânico e inorgânico do Banco CTT e também dos Serviços Financeiros.

Para João Bento, CEO dos CTT, estes resultados “confirmam que os CTT estão a seguir a estratégia acertada, diversificando as áreas de negócio e sem perder de vista o correio tradicional. 2019 foi um ano de transição, com um novo impulso e um novo rumo para os CTT, que resultou num aumento do resultado líquido. Os principais indicadores económico-financeiros mostram um crescimento sólido, a 321 Crédito está a dar um importante contributo para os resultados do Banco CTT e acreditamos que teremos bons resultados com as alterações implementadas em Espanha. Apesar da queda prevista no correio tradicional estimamos um crescimento nos rendimentos operacionais em 2020, sustentado por desenvolvimentos orgânicos das alavancas de crescimento e pelo contributo da 321 Crédito. O plano de reabertura de lojas está em curso e vamos continuar a investir na melhoria da nossa operação e na implementação do Plano de Modernização e Investimento, que nos permitirá dotar os CTT dos recursos necessários para a modernização da rede postal e logística, reforçando a qualidade do serviço e melhorando as condições de trabalho dos nossos colaboradores.

Os rendimentos operacionais de Correio no quarto trimestre de 2019 ficaram praticamente em linha com o período homólogo de 2018 (-0,2%), totalizando 125,7 milhões de euros. Em 2019 situaram-se em 484,6 milhões de euros, (-2,1%) face a 2018. Esta redução resulta fundamentalmente do efeito conjugado da queda dos rendimentos do correio endereçado (-2,1%) e da filatelia (-17,3%), atenuado pelo forte crescimento dos rendimentos do correio internacional de chegada (+20,4%) e do correio internacional de saída (+9,3%) que foi influenciado positivamente pelos envios associados ao processo das eleições legislativas no terceiro trimestre de 2019. Apesar da queda dos rendimentos da filatelia em 2019, espera-se uma recuperação em 2020 com a celebração dos 500 Anos do Correio em Portugal e com as diversas iniciativas associadas.

No Expresso & Encomendas os rendimentos operacionais atingiram os 152,4 milhões de euros, mais 2,4% do que em 2018. Os CTT continuaram a sua estratégia de desenvolvimento do mercado B2C em Portugal e da promoção dos e-sellers portugueses com o lançamento do Marketplace Dott e da plataforma de e-fulfilment “CTT Logística”. Em 20 de dezembro de 2019 a Tourline foi integrada na empresa CTT Expresso como uma sucursal em Espanha. A empresa tem uma nova equipa de gestão em Espanha que está focada em melhorar o seu modelo operativo, para garantir mais eficiência e melhor qualidade de serviço, num mercado onde o e-commerce é cada vez mais representativo, e retomar o crescimento para garantir escala e rentabilidade, posicionando-se como um operador de referência ibérico, especialmente nos fluxos transfronteiriços.

Perspetivas Futuras

Salvo os impactos que resultarem da crise associada à pandemia em curso, ainda de difícil estimativa, os CTT, sustentados por desenvolvimentos  orgânicos das alavancas de crescimento e pelo contributo da 321 Crédito, deverão apresentar um crescimento entre 4% e 6% dos rendimentos operacionais, o que em conjunto com a implementação de medidas de eficiência se deverá traduzir num crescimento de um dígito elevado do EBIT e de um EBITDA superior ou igual a 110 milhões de euros em 2020.

O volume do correio endereçado deverá registar uma queda entre 6% e 8% enquanto que para o negócio de Expresso & Encomendas em Portugal é projetado um crescimento de dois dígitos. Para fazer face a esse crescimento e apoiar a operação em geral, os CTT preveem um investimento de 40 milhões de euros, com vista a aumentar a automatização e eliminar constrangimentos na capacidade de tratamento da área de negócio de Expresso & Encomendas.

Os CTT anunciam formalmente a sua intenção de ser o novo concessionário do Serviço Universal, de um contrato de concessão mais sustentável.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram