A Minsait, uma empresa líder em Consultoria de Transformação Digital e Tecnologias da Informação, , anunciou que através da plataforma Salesforce Commerce Cloud vai possibilitar a indústrias e empresas, em apenas oito semanas, um sistema de comércio eletrónico de valor diferencial que as ajudará a potenciar as vendas digitais.

Através desta implementação estratégica, feita em tempo recorde, passa a ter disponível um canal de comércio eletrónico e integra-o na sua suite de pagamentos- Onesait Payments– especializada em pagamentos online, tornando-a mais rica ao nível da gestão de vendas, envios e uma faturação rápida, integrada e segura.


Assim, a oferta da empresa que opera em Espanha e na América Latina,é única no mercado, fortalece o posicionamento online dos utilizadores e promove o negócio na rede em condições mais eficientes.

Desta forma, a solução permite que se faça a gestão de catálogos complexos de forma dinâmica, ativar promoções rápidas e personalizadas, controlar multi-stocks deslocalizados, integrar-se com outros sistemas, facilitar pagamentos centralizados e seguros e simplificar a relação com operadores logísticos, entre outras capacidades.

«Já não basta o valor do preço, o produto ou a conveniência. A eficiência operacional é crucial e é a chave para o sucesso do negócio online”, afirma Jorge Gonçalves, diretor da unidade de Indústria e consumo da Minsait em Portugal.

Por outro lado, cenário associado à pandemia COVID-19 levou as empresas a reforçar os seus canais online e a ativar outros recursos digitais próprios, de forma a melhorar a relação direta com os seus clientes.

Neste sentido, antes da crise gerada pela pandemia COVID-19, apenas 39,1% dos portugueses fazia compras pela Internet pelo menos uma vez por mês, sendo o computador pessoal o dispositivo preferido para aceder a este canal de compra.

Em consequência do confinamento e das limitações de circulação, o comércio online disparou. Entre o período em que é declarado estado de emergência (18 de março) até 26 de abril, o consumo online registou valores entre os 51% e 55%, por contraposição aos 29% registados entre 1 de janeiro e a data do primeiro caso de coronavírus em Portugal.

Esta pandemia veio mostrar a importância e necessidade de as empresas terem canais próprios para a venda online, de forma a atender à população em risco. Face a este cenário de pandemia, tanto produtores, distribuidores como intermediários precisam de intensificar a personalização dos seus próprios canais digitais, de modo a criar oportunidades que até agora ainda não foram exploradas no mundo online”, explica Jorge Gonçalves.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram