O ano passado foi desafiante para muitos setores de atividade, mas para o comércio eletrónico foi um ano de crescimento sem precedentes. Com o fim de 2020 e a tão esperada chegada de 2021 só nos resta saber o que esperar deste ano.

No ano passado, a SearchNode publicou um relatório sobre as tendências do comércio eletrónico em 2020. Porém, há 1 ano atrás pouco se sabia sobre o Covid-19 e como se espalharia por todo o mundo. 


A SearchNode publicou um novo relatório sobre as últimas tendências de comércio eletrónico e o impacto da Covid-19. O que mudou em doze meses? Vamos descobrir como o novo relatório sobre as tendências do comércio eletrónico

Receita de comércio eletrónico

Parece que a maioria das empresas de comércio eletrónico viu a sua receita online aumentar durante o confinamento global na primavera de 2020.

De acordo com a pesquisa, 90% das empresas viram as suas vendas online aumentar, com 50% dos entrevistados a afirmar que cresceram mais de 100%.

Ainda assim, 6% dizem que a sua receita de comércio eletrónico diminuiu durante o confinamento.

Quando o confinamento terminou, muitos consumidores começaram a comprar novamente no retalho tradicional. Ainda assim, 86% dos entrevistados disseram que as suas receitas online aumentaram e apenas 4% disseram que diminuíram.

Receita online após e durante o bloqueio global - Searchnode 2021

Fonte: SearchNode

Margem de lucro online aumentou 38%

Toda a situação da Covid-19 originou vários constrangimentos como o exemplo do atendimento ao cliente com equipa insuficiente ou o encerramento de vários postos de venda físicos, direcionando o cliente para o online. Isso afeta diretamente a margem de lucro online.

A margem de lucro online aumentou 38% durante o confinamento global, enquanto para 40% a margem de lucro se manteve igual e apenas para 15% diminuiu.

O impacto da Covid-19 

A pandemia proporcionou algumas mudanças na força de trabalho das empresas. Dos inquiridos,  44% afirmaram que tiveram que realocar funcionários, enquanto três em cada dez contrataram mais pessoas.

26% tiveram que demitir algumas pessoas e 15% afirmam que tiveram que reduzir os salários dos funcionários. Ainda 5% conseguiram aumentar os salários e 21% das empresas não tiveram de ajustar a sua força de trabalho.

O omnicanal e o aumento das vendas offline

Outra descoberta interessante do estudo é que, para retalhistas que têm lojas online e offline, 23% afirmam que as suas vendas offline aumentaram e 16% conseguiram manter um número de vendas estável. Infelizmente, para 43%, as suas vendas offline foram prejudicadas.

Consequências financeiras

Apesar de todos os aspetos negativos que o ano de 2020 trouxe consigo, financeiramente foi um ano bom para muitas empresas de comércio eletrónico. A maioria delas (63%) afirmam que o ano foi um sucesso e 28% afirmam que o seu negócio de comércio eletrónico está num bom caminho, enquanto que as suas lojas físicas não. 

Resultados financeiros para empresas de comércio eletrônico - Searchnode 2021

Fonte: SearchNode

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram