O governo britânico «deve introduzir novas medidas» para controlar o domínio da Google e Facebook na publicidade digital, declara a Autoridade da Concorrência do Reino Unido.

O pedido da Autoridade da Concorrência e Mercados do Reino Unido (CMA) surge um ano depois de ter lançado uma investigação sobre a influência das plataformas norte-americanas, analisando a forma como estas recolhem e utilizam os dados pessoais dos consumidores.


Em 2019, Google e Facebook representavam quase 80% das despesas de publicidade digital do Reino Unido, o que era aproximadamente £15,4 mil milhões, de acordo com a CMA.

O regulador adverte que embora os serviços prestados por empresas sediadas nos EUA sejam «altamente valorizados«, jogam contra o mercado e deixam de fora todas as plataformas que não podem competir em igualdade de condições.

Assim, a agência propõe uma «Unidade de Mercados Digitais» que permitirá aos motores de pesquisa rivais aceder aos dados de clique de consulta do Google, ao mesmo tempo que restringe a capacidade de se posicionarem como o motor de pesquisa padrão.

«Apoiamos uma regulamentação que beneficie indivíduos, empresas e sociedade e continuaremos a trabalhar de forma construtiva com as autoridades reguladoras», disse Ronan Harris, vice-presidente da Google UK & Ireland.

A CMA recomenda igualmente que o Facebook aumente a sua interoperabilidade com outras plataformas de redes sociais e ofereça aos consumidores a opção de optarem por publicidade direcionada.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram