Existem cada vez mais formas de fazer pagamentos, desde aplicações como mbway até aos cartões contactless.

A Amazon não quer ficar atrás e está neste momento a testar uma nova forma de poder efetuar pagamentos – Amazon One é um sistema que recorre à palma da mão para autorizar as transações. 


Com o lema «Uma maneira de desbloquear o mundo, movido pela palma da mão», o Amazon One considera-se um serviço de identidade rápido, conveniente e sem contacto que usa a palma da mão – basta passar no dispositivo para entrar, identificar e pagar.

A nova tecnologia, presente em duas lojas Amazon Go em Seattle, permite que os clientes paguem pelos seus mantimentos ao digitalizar a palma da mão. Ao analisar o formato da mão e a sua identidade única, a Amazon afirma que a sua tecnologia pode verificar a identidade do cliente.

Fonte: Amazon

A Amazon defende que a palma da mão traz mais benefícios de privacidade em relação a outras tecnologias como o caso do reconhecimento facial, embora precise de construir uma plataforma ou banco de dados com informações de clientes.

Apesar do Amazon One ser inicialmente usado somente para pagamentos, a empresa de tecnologia tem ambições muito maiores para este hardware. Futuramente, o Amazon One poderá ser utilizado como um substituto para bilhetes em eventos musicais e desportivos.

Fonte: Amazon

Será que a palma da mão é segura?

Segundo a empresa, este tipo de autenticação biométrica é segura, já que cada pessoa tem características únicas na mão, criando uma espécie de “assinatura digital”. Noutras palavras, o Amazon One não é uma tecnologia de pagamento, é uma tecnologia de identidade.

O hardware do Amazon One verifica a identidade do cliente ao observar minuciosamente as características da sua palma, desde os detalhes da superfície da mão, como linhas e profundidade, até às características subcutâneas como os padrões das veias.

Usualmente, o scan das veias é feito usando luz infravermelha que penetra as camadas superficiais da pele, embora a Amazon não tenha mencionado essa tecnologia especificamente. A empresa refere que qualquer pessoa se pode inscrever no Amazon One ao inserir um cartão de crédito num dos seus scanners, número de telemóvel e de seguida posicionar a sua mão, qualquer uma delas, no scanner, identificando o cliente em segundos sem contato com a pele.

E os nossos dados, para onde vão?

As preocupações com um serviço como o Amazon One vão muito além da recolha de dados dos clientes. O que nos deve preocupar com esta tecnologia é a forma como ela vincula quem somos enquanto pessoas e o possível acesso a um histórico das nossas compras e transações semelhantes.

Fazendo uma comparação da Amazon One com uma tecnologia como o Face ID da Apple, que usa dados de reconhecimento facial para desbloquear o telemóvel e verificar pagamentos, mas mantém os dados biométricos no dispositivo. Ao manter os dados na nuvem, estamos a expor-nos a hackers e tal armazenamento de dados também nos torna mais acessíveis a terceiros interessados, como governos.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram