É a primeira vez que a receita do YouTube é conhecida e o número não deixou ninguém indiferente: a plataforma gera cerca de 13.600 milhões de euros (15.000 milhões de dólares) em receitas publicitárias. A receita da empresa em 2019 é 9 vezes maior do que o Google pagou pela plataforma há 14 anos.

Entretanto, a diretora financeira da Alphabet, Ruth Porat, especificou que «a maioria» dessas receitas pertence aos criadores do YouTube, tornando difícil estimar quanto delas permanecem na empresa como lucros.

Os anúncios do YouTube representam agora cerca de 9% da receita total do Alphabet: 162 mil milhões de dólares (mais de 146 mil milhões de euros) no ano passado.

A empresa-mãe do Google, a Alphabet, nunca antes tornou públicos os números do Youtube. Esta é a primeira vez que o Google reporta estes números desde que comprou a plataforma, em 2006.

De acordo com o CFO da Alphabet, Ruth Porat, a razão para esta súbita revelação é «proporcionar uma melhor compreensão do nosso negócio e das oportunidades que ele apresenta». No entanto, as declarações também vêm num momento em que as receitas trimestrais da Alphabet não corresponderam às expectativas de Wall Street.

O lançamento dos números do YouTube marca o fim de um longo período de silêncio que também serviu para desvendar outros dados. Nesta ocasião, a Alphabet também aproveitou para declarar pela primeira vez a receita do Google Cloud, que totalizou cerca de 2,6 mil milhões de dólares (23,5 mil milhões de euros) no último trimestre.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram