O Ecommerce Tour já começou, ontem em Valladolid, e contou com a presença de George Sandeman. O especialista do mundo do vinho explica como a «digilitazção do vinho» é uma coisa nova e lenta. O vinho é um conceito tradicional e devido à falta mão-de-obra, o caminho para o digital é espaçado, contudo já existem tecnologias a ser aplicadas no sentido de cuidar todo o processo de produção do vinho.

Uma das primeiras tecnologias aplicadas neste ramo foram os drones, muito importantes para a monetizaçao. Os drones têm influência em todo o processo de produção de vinho desde os tratamentos das vinhas, a pulverização das mesmas ou no impacto ambiental melhorando a administração da água e reduzindo desperdícios e custos. A cartografia é outra técnica que permite a supervisão detalhada através de um drone que sobrevoa os terrenos, não existindo a necessidade de pessoal para o fazer. O objetivo da aplicação destas tecnologias não é para tirar empregos mas sim preencher uma lacuna crescente de falta de pessoal devido ao êxodo rural explica George Sandeman.

E se as novas tecnologias que vêm ajudar a vindima estão no ar (como os drones) também as podemos encontrar em terra. Os VineRobots são veículos terrestres não tripulados equipado com tecnologia de sensor não invasivo que seguir a maturação das uvas, enquanto o Projeto eyegrape é utilizado para medir a evolução da uva. Também a colheita da uva conta com a contributo robots que são controlados de dorma remota segundo tecnologia 4G e GPS.

Quais as limitações do ecommerce do vinho ?
  • Um dos grandes problemas é chegar ao consumidor. Quase toda a distribuição é feita por supermercados modernos e chegar ao consumidor é dificil principalmente porque se enfrenta outro problema, a falta de conhecimento que têm sobre o vinho. Este é um ponto que se tem que melhorar muito, dar mais informação, de qualidade, ao cliente
  • Falta de eficiência de alguns websites
  • Lacuna na optimização dos smartphones
  • Variabilidade no acesso web
  • Uma das questões mais difíceis de controlar são as vendas transfronteiras, por razões fiscais. Muitas pessoas compras vinho online em websites de outros países e isto não é legal. A proposta é uma adaptação do MOSS (Mini One Stop Shop) ao sistema fiscal europeu e esta possibilidade está a ser trabalhada em Bruxelas. Ao comprar um vinho de um país, pagaria ou não imposto dependendo do país de origem do comprador.
  • Regulamentos legais e de saúde (Ex: idade mínima de compra)
Novo paradigma: Adeus ao Marketing tradicional do vinho

Uma tecnologia que é do particular interesse do orador é Realidade Aumentada. Na Europa ainda não está muito desenvolvida mas é muito vista na Califórnia, Austrália e África do Sul. É exemplo uma marca, chamada 19 Crimes, que é fora do comum no vinho. Cada etiqueta apresenta alguém que cometeu um crime e com um smartphone podes descobrir a história. «Acredito que isto é o futuro sobre como o consumidor vai obter informação» acrescenta.

Em metade dos países da UE28 a utilização das redes sociais é feito por mais de 50% da população. Tanto o Facebook e o Instagram estão a crescer e são canais de publicidade para os publicos mais jovens.

Ecommerce Tour

O Ecommerce Tour teve ontem em Valladolid. Com mais de 4.000 participantes desde o seu início em 2017, o Ecommerce Tour – o ciclo de eventos sobre o ecommerce organizado pela Ecommerce News – visitou 5 cidades em 2019, dando o salto para 9 para este 2020; Valladolid, Valência, Sevilha, Málaga, Vitória, Saragoça, Canárias, Múrcia e Vigo. Segue em directo.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram