Tanto o número de ecommerces que são criados como a competição entre eles está a crescer a um ritmo vertiginoso. Isto exige que as empresas prestem atenção não só aos seus produtos, serviços e promoções, mas também à saúde dos seus websites, uma vez que este é um fator importante e influencia diretamente o posicionamento no Google.

Entre as capacidades da SEMrush está a capacidade de analisar sites de qualquer setor e tamanho em relação a problemas e erros de SEO. Não é a primeira vez que a empresa decide fazer este tipo de estudos, e desta vez foi mais longe e analisou 1.300 sites de ecommerces e mais de 5 milhões de páginas utilizando a ferramenta Site Audit para determinar os 80 erros técnicos e de SEO mais comuns.

Entre os problemas analisados estão aspetos como SEO onpage, implementação de HTTPS, arquitetura de sites, tags hreflangs e outros.

O surpreendente é que os ecommerces de maior tamanho tinham erros sendo alguns deles muito graves. Aqui mostramos-te os erros mais comuns que tens que saber para evitá-los no teu próprio website:

  • Três em cada quatro websites têm links internos danificados. Por outro lado, os links internos que funcionam bem fazem com que os motores de busca e os utilizadores encontrem facilmente o teu conteúdo.
  • 72% das empresas analisadas têm páginas ligadas à antiga versão – http – do website.

A segurança é um fator muito importante para os ecommerces, porque as compras são feitas diretamente no site. Problemas com a versão https do site pode assustar os clientes e fazem com que corras o risco de perdê-los facilmente.

  • 83% dos sites analisados contêm conteúdo duplicado. O problema dos ecommerces é que o mesmo produto que é vendido em cores e tamanhos diferentes e que tem a mesma descrição está a ser considerado conteúdo duplicado. Ana Belén Leíño, responsável de SEO da agência de marketing Valor de Rey, comenta que «a solução passa por reescrever o conteúdo estabelecendo copys únicos para cada um dos nossos URLs, o que sem dúvida aumenta nossos custos e o CPA (Custo por aquisição) de cada um de nossos produtos”.
  • Faltam atributos hreflang em 53% dos casos analisados. Se vendes não só no teu país, mas também noutros países e noutras línguas, o teu site deve ter hreflang tags bem realizadas para que os motores de busca entendam que é conteúdo semelhante para lugares diferentes.
  • 79% dos sites analisados têm uma velocidade de carregamento de página lenta

Atualmente a velocidade de carregamento da página afeta, como nunca antes, a experiência do utilizador, e isso, por sua vez, afeta o teu posicionamento nos motores de busca. Todos querem ter um site rápido e faz sentido trabalhar para melhorar o desempenho do seu site.

  • Mais de 400 sites de ecommerces analisados não têm tags de título. O título é a primeira coisa que o utilizador vê no motor de busca e o que dá a primeira pista sobre o que ele é. É necessário colocar lá essa informação que é importante ou mesmo colocar informações valiosas ou competitivas sobre o produto ou sobre os preços para que possamos atrair mais clientes.

80-ecommerce-es-2-06.png

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram