Os dispositivos tecnológicos e a forma como consumimos a informação que fornecem estão em constante evolução. Por isso, as empresas têm de se adaptar a esta transformação e concentrar-se em conseguir a máxima usabilidade da sua presença na web.

Esta usabilidade refere-se à capacidade de um produto ser compreendido, aprendido, usado e que, por sua vez, é atraente para o utilizador quando usado a partir de qualquer dispositivo.

 

  1.       Tempo de carregamento superior a três segundos. O utilizador tem a mais recente tecnologia 4G nos seus dispositivos e busca informações de forma rápida e ágil. Se esperar mais do que isso, vamos perdê-lo.
  2.       Apresentação caótica e confusa. O site tem que ser limpo e claro, a informação tem que ser bem organizada para que o utilizador possa facilmente encontrar o que procura.
  3.       Navegação. A acessibilidade deve ser fácil, prática e funcional, e se puder ser resolvida com um único clique muito melhor. Um exemplo de acessibilidade é a incorporação de solicitações num clique da Amazon ou a facilidade que o Google nos dá ao simplesmente formular as palavras secretas «ok google» para fazer uma chamada para um contato na nossa agenda, entre muitas outras.
  4.       Falta de coerência. É necessário que cada elemento se adapte a um web site, aplicação… tenha um sentido ou razão de ser e que a sua disposição seja exposta ordenadamente.
  5.       Design inflexível. A informação deve ser apresentada corretamente ao utilizador independentemente do dispositivo utilizado para navegar, pelo que a conceção deve ser reativa (adapta-se literalmente) ou adaptativa (é feita uma conceção para cada dispositivo).

 

Além disso, recomenda-se a realização de uma avaliação periódica do comportamento dos utilizadores e de um estudo sobre a eficácia do web design. Para o efeito, existem instrumentos no mercado, como por exemplo:

  •       CrazyEgg: Rastreia os cliques feitos pelos utilizadores em cada elemento e gera mapas de calor com os resultados.
  •       Smartlook: Grava tudo o que os visitantes fazem no seu site.
  •       Write Maps: Esta ferramenta permite-lhe produzir, gerir e partilhar os mapas do seu website.
  •       MobiReady: Com esta ferramenta podes medir a usabilidade do teu site quando acedido de um telemóvel.
  •       Page Speed Insight: Esta ferramenta desenvolvida pela Google avalia o teu site com base no que consideram ser as melhores práticas de desempenho.
  •       Browsershots: Esta aplicação é usada por muitos programadores para verificar a aparência de um website a partir de diferentes browsers (Chrome, Firefox, Mozilla…)
  •       Word Count Tool: É um indicador para determinar a facilidade de leitura dos textos da web.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram