A Google foi um dos primeiros a alcançar o mercado das PPC (campanhas pagas por clique) e o líder indiscutível desde então.

No entanto, nos anos que se passaram, a concorrência aumentou tremendamente no mercado das PPC e, como a sua participação no mercado cresceu, a Google também fez um ótimo trabalho ao ajustar o modelo para maximizar sua receita.

Infelizmente, muitas indústrias chegaram a um ponto em que as PPC são uma atividade não lucrativa e precisa de ser apoiada por outras fontes mais lucrativas.

Além dessa falta de rentabilidade, algumas das plataformas sociais mais populares criaram soluções que têm o potencial de se tornar uma alternativa viável para gerar leads. O Facebook, Instagram, LinkedIn e Snap têm opções de publicidade focadas na criação de leads que, quando bem geridos, são capazes de oferecer resultados com um corte muito menor que as PPC.

Além disso, existem várias maneiras pelas quais as plataformas de redes sociais têm uma vantagem incorporada sobre os mecanismos de pesquisa em termos de publicidade.

O primeiro é o seu acesso inerente aos detalhes de contato do utilizador. As redes sociais escolhidas têm nome, apelido, endereço de e-mail, número de telefone e outros detalhes guardados no seu perfil. O Instagram, o Facebook e o Linkedin utilizaram-no de maneira inteligente para permitir o preenchimento automático de formulários de consulta, reduzindo a fricção e convertendo-a num processo de um clique para seus utilizadores.

O segundo fator que reduz a fricção do processo de consulta é estar integrado nos seus anúncios. Não é necessário que o utilizador clique para aceder a um site ou página de destino, não é necessário que o anunciante se preocupe com o conteúdo do site ou com as taxas de conversão, ele só precisa de receber as consultas e de se preocupar com o seu canal de vendas.

Mas … isso é uma ameaça ao domínio do Google?

Provavelmente não, e assim diz Econsultancy.com, que afirma que a Google controla a maior parte dos orçamentos de publicidade digital e, mais importante, a atenção dos utilizadores da Internet quando se trata de procurar produtos e serviços. Portanto, continua a ser a opção prioritária para muitos comerciantes. Além disso, cabe ressaltar os contínuos erros do Facebook em termos de relações públicas, o que também está a ajudar a Google a sair vantajosa. No entanto, isso não significa que a Google não esteja atenta às redes sociais e que o Facebook ainda seja o seu rival mais direto.

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram