Apesar de ser um fenómeno mais ou menos recente, os influencers tornaram-se um dos perfis mais reclamados nas estratégias de marketing das empresas. Agências especializadas, como a Influencity, estimam que mais de 20 milhões de pessoas no mundo trabalham como influenciadores, uma tarefa que pode ser considerada como uma profissão, já que cerca de 70% recebem compensação financeira. Neste sentido a Sortlist, uma plataforma que conecta marcas com agências, aponta os fatores-chave para trabalhar com esses perfis.

Uma das principais mudanças que as empresas têm experimentado ao redesenhar as suas estratégias é a colaboração com os influencers, já que lhes permitem conectar-se com as novas gerações usando a mesma linguagem e através dos mesmos canais. Neste sentido, segundo os últimos dados da Launchmetrics, 62% das empresas contratam influencers para as suas estratégias de marketing e publicidade digital.

Fatores-chave para uma estratégia de sucesso

As empresas entendem que a comunicação através do mundo digital é a única forma de seduzir o público millennial, o que foge às campanhas de marketing tradicionais. Neste sentido, a Sortlist destaca os fatores-chave para uma estratégia de marketing bem-sucedida:

  1.   Influência: o termo influência é fundamental na elaboração de uma estratégia. É comum medir a capacidade de influência em torno do número de seguidores de um determinado perfil. Embora seja bastante confiável, a verdadeira chave para o sucesso (e, portanto, para influenciar) não reside em ter muitos seguidores, mas sim no engagement que um influencer gera com os seus seguidores seja muito grande. Portanto, muitas vezes um microinfluencer pode ser mais benéfico para uma empresa do que uma celebridade ou famoso.
  2.   Conversação: o fio condutor de qualquer estratégia deve ser contar uma história cujo objetivo final é gerar um fluxo de conversa entre a marca, o influencer e os seus seguidores. Para isso, é vital escolher um perfil que reflita e se identifique com os valores da marca, mas também é necessário encontrar um meio termo entre o estilo de comunicação da marca e o do influencer. Acima de tudo, naturalidade, proximidade e simplicidade.
  3.   Componente visual: tendo em conta a familiaridade dos millennials com conteúdos na Internet e nas redes sociais, o compromisso com as mensagens visuais é configurado como uma boa estratégia de fidelização. Para criar uma ligação autêntica com este público, é necessário optar por conteúdos muito visuais em detrimento de conteúdos mais tradicionais (textos, e-mails, etc.). Neste sentido, o Instagram aparece como a rede social com os melhores dados em termos de capacidade de influência, embora a plataforma se deva ajustar à estratégia e não o contrário.

 

Mantenha-se informado das notícias mais relevantes em nosso canal Telegram